China: porta-voz acusa EUA de abuso de poder após exclusão de empresas por Bolsa

A porta-voz do ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, disse que os Estados Unidos abusam de seu poder estatal e do pretexto de segurança nacional para pressionar companhias chinesas e politizar questões comerciais entre os países. A declaração ocorreu em uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira, após a New York Stock Exchange (NYSE) anunciar que irá excluir de sua listagem as companhias de telecomunicação China Telecom, China Mobile e China Unicom Hong Kong.

“A China espera que os EUA respeitem o mercado, o Estado de Direito e tomem medidas que conduzam ao desenvolvimento estável da economia global”, disse Chuying, acrescentando que Pequim tomará as medidas necessárias para proteger os interesses das empresas chinesas, segundo reportou o veículo estatal CGTN.

A NYSE disse que a futura exclusão das companhias chinesas se dá por conta de suposta “afiliação com as forças armadas” do país asiático, o que poderia ferir uma ordem executiva assinada pelo presidente Donald Trump em novembro. A norma proíbe investimentos americanos, incluindo ações negociadas na bolsa, em companhias identificadas como sob controle do exército chinês.