China solicita adesão a acordo com países da Ásia-Pacífico, após pacto dos EUA

A China solicitou formalmente à Nova Zelândia sua adesão ao Acordo Compreensivo e Progressivo para a Parceria Transpacífica (CPTPP, na sigla em inglês), um pacto comercial com 11 países da Ásia-Pacífico. O objetivo do governo chinês é atrair aliados americanos tradicionais para sua órbita econômica, à medida que a competição por alianças se intensifica entre Pequim e Washington.

O movimento da China vem logo após o governo Biden anunciar uma nova parceria na área de segurança com o Reino Unido e a Austrália no Indo-Pacífico, em meio ao crescimento da influência chinesa na região.

À medida que as tensões entre os EUA e a China continuam a aumentar em muitas frentes, tanto o presidente americano, Joe Biden, quanto o líder chinês, Xi Jinping, intensificaram o cabo de guerra pela liderança global.

Com seu pedido de adesão à CPTPP, Xi aproveita a ironia de tentar aderir a um pacto com padrões estabelecidos por negociadores americanos, mas rejeitado por um presidente dos Estados Unidos.

Em 2017, o ex-presidente Donald Trump tirou os EUA de uma versão inicial do acordo, com a justificativa de que haveria impacto no emprego no país.