Egito liberta jornalista da Al-Jazeera preso desde 2016

Autoridades do Egito libertaram neste sábado o jornalista da Al-Jazeera, Mahmoud Hussein, preso desde 2016. De acordo com o advogado da família, Gamail Eid, um tribunal ordenou nesta semana a libertação condicional de Hussein, que aguarda investigações sobre acusações de publicação de informações falsas e de pertencer a um grupo ilegal no país. Agora, o jornalista terá que comparecer a uma delegacia próxima de casa duas vezes por semana. A notícia também foi confirmada pela Al-Jazeera e pela filha de Hussein, que fez uma publicação na sua conta do Facebook afirmando que o pai estava em casa.

O jornalista foi detido no aeroporto do Cairo em dezembro de 2016, período em que autoridades egípcias e a imprensa pró-governo já estava retratando a rede Al-Jazeera como inimiga nacional do Egito por sua proximidade com os islâmicos, especialmente o grupo ilegal da Irmandade Muçulmana. No país, o site de notícias da Al-Jazeera está bloqueado desde 2017, junto com dezenas de outros sites de notícias considerados muito críticos do governo.