Equador: Quase metade dos eleitores foram às urnas nas primeiras 6h de votação

A presidente do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) do Equador, Diana Atamaint, disse que 45,34% dos eleitores equatorianos votaram até às 13h20 (horário local), quando foi finalizada a última parcial da disputa. Ao todo, o país possui 12,6 milhões de cidadãos habilitados a votar.

Em pronunciamento, ela afirmou que o tempo médio de votação de cada um foi de três minutos, e que o processo tem sido marcado pela organização e pelo cumprimento das regras de biossegurança estabelecidas para evitar a disseminação do novo coronavírus.

Diana destacou a participação das forças armadas equatorianas e das polícias locais para garantir a eleição. “Isso graças à efetiva parceria que mantemos com as forças armadas, polícias e com a colaboração do povo equatoriano.”

Já o conselheiro do CNE, Fernando Pita Garcia, destacou a importância da participação pelos cidadãos equatorianos. “É importante que os cidadãos equatorianos se façam presentes, porque seu voto ajuda no processo democrático, seu voto decide. Não permita que os outros decidam por você”, comentou ao destacar que é possível comparecer aos locais de votação até às 17h do horário local.

Parciais

Segundo dados do CNE, os candidato de esquerda Andres Arauz liderava, até a tarde deste domingo, 11, a contagem de votos na eleição presidencial do Equador. A contabilização dos votos pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE) às 16h03 (horário de Brasília) apontava Arauz com 32,72% dos votos válidos para presidente do país.

Em seguida estavam praticamente empatados o líder ambientalista e indígena Yaku Perez, com 19,39%, e o banqueiro Guilhermo Lasso Mendonza, que tem 19,74%. Logo atrás está Xavier Hervas, com 15,68%.

Arauz é considerado o favorito para vencer as eleições equatorianas, após liderar o primeiro turno da eleição com mais de 30% dos votos.