Ex-procurador-geral dos EUA diz que conduta de Trump foi de traição a cargo

O ex-procurador-geral dos Estados Unidos William Barr afirmou nesta quinta-feira, 7, que a conduta do presidente Donald Trump na quarta-feira, quando uma multidão violenta de partidários invadiu o Capitólio, a sede do legislativo norte-americano, foi uma “traição a seu cargo e a seus apoiadores”. Em um comunicado à Associated Press, Barr disse que “orquestrar uma multidão para pressionar o Congresso é imperdoável”.

Os comentários vêm um dia depois de manifestantes armados invadirem o Capitólio dos EUA, forçando os membros do Congresso a suspenderem a votação em andamento para certificar a eleição do presidente eleito Joe Biden.

Barr renunciou no mês passado em meio à tensão persistente sobre as alegações infundadas do presidente de fraude eleitoral e a investigação do filho de Biden.