Irã sinaliza disposição a voltar às mesas de negociações por acordo nuclear

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif, afirmou que o país está disposto a retornar as mesas de negociações para tentar reviver o acordo nuclear assinado em 2015 com Estados Unidos e outras potencias ocidentais. Em entrevista à emissora iraniana Press TV, o chanceler exortou os americanos a relaxarem as sanções intensificadas durante a gestão do ex-presidente Donald Trump. “O Irã retribuiria imediatamente, revertendo suas medidas corretivas”, prometeu.

Zarif argumentou que o atual líder da Casa Branca, Joe Biden, ainda não alterou a postura austera contra o país islâmico. “Nada mudou. Biden afirma que a política de pressão máxima de Trump foi o fracasso máximo, mas para todos os efeitos práticos, eles estão seguindo a mesma política”, acusou.

Após terem liderado a assinatura do pacto em 2015, os EUA deixaram o tratado em 2018, sob direcionamento de Trump. Desde então, agências internacionais afirmam que Teerã voltou a enriquecer urânio, requisito essencial para o desenvolvimento de armas nucleares. Os iranianos também suspenderam a liberação à visitas de inspeções.

“Nós não temos nada a esconder. O Irã não busca desenvolver armas nucleares. A decisão é baseada em fatos geopolíticos sólidos e fundamentos religiosos e morais e essa decisão permanece sem nenhum ‘se ou mas'”, observou Zarif.

Na semana passada, a Casa Branca enviou um recado ao Irã de que está disposta a voltar a negociar o acordo, mas informou que manterá as sanções durante as discussões. Para o ministro iraniano, os EUA precisam trabalhar para conquistar o direito de voltar ao pacto. “Todas as sanções precisam ser removidas”, insistiu.