Macron afirma que anglo-saxões bloqueiam exportações de ingredientes para vacinas

O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou que os anglo-saxões vem bloqueando ingredientes para a produção de vacinas contra a covid-19, em contraste como a União Europeia, que foi a mais “generosa no mundo”. O líder indicou que “100% das vacinas produzidas nos Estados Unidos vão para os americanos”, enquanto o bloco exportou parte de sua provisões. As declarações foram feitas à repórteres antes do Social Summit da UE, realizada na cidade do Porto.

Na visão de Macron, a quebra de patentes para a produção de vacina por si só não resolve a questão no momento, tendo de serem levados em conta os insumos. “Qual é o problema agora? Não se trata realmente de propriedade intelectual. Você pode oferecer a um laboratório que não saberá como produzir – o primeiro problema é garantir doses”, afirmou o líder. Ainda assim, o francês se disse “favorável ao debate e à remuneração da inovação”, tendo em vista que desenvolvedores de pesquisa devem ser compensados.

Questionado sobre a posição da chanceler alemã, Angela Merkel, que se mostrou mais reticente à quebra das patentes, Macron indicou estar “de mãos dadas” com a contraparte, e que espera uma posição conjunta no âmbito da Comissão Europeia.

Mais cedo, a presidente do braço executivo da UE, Ursula von der Leyen, fez um aceno aos EUA, ao pedir que o país aumente suas exportações de vacinas contra a covid-19. “Nós convidamos todos aqueles que se envolvem no debate por uma licença para direitos de propriedade intelectual que se unam a nos para se comprometer a exportar uma parcela grande do que está sendo produzido naquela região”, afirmou a líder em coletiva após a Social Summit.

Macron defendeu ainda a UE como exportadora e a visão das “vacinas como bem público mundial”, e apontou para o mecanismo Covax como uma forma de distribuição de doses.