Nancy Pelosi se junta a Schumer e pede destituição de Trump por ‘ato de sedição’

A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, defendeu nesta quinta-feira a destituição de Donald Trump do cargo de presidente do país. Durante uma coletiva de imprensa, a democrata disse que o líder da Casa Branca cometeu um “ato de sedição para minar as eleições” ao incentivar manifestantes que invadiram o prédio do Congresso na quarta-feira, 6, para impedir a certificação da vitória de Joe Biden nas eleições de 2020. Depois de uma sessão que se estendeu pela madrugada, o presidente eleito foi, finalmente, certificado.

“Eu me junto ao líder democrata do Senado, Chuck Schumer, ao pedir ao vice-presidente que remova este presidente invocando imediatamente a 25ª emenda”, declarou Pelosi, em referência ao trecho da Constituição americana que permite ao vice, juntamente com membros do gabinete do governo, destituir o presidente por perda da capacidade de exercer o cargo.

De acordo com a democrata, se Mike Pence não agir, o Congresso pode avançar com um processo de impeachment.

“Ontem o presidente dos EUA incitou uma insurreição armada contra a América”, afirmou Pelosi. “Ele é uma pessoa muito perigosa que não deve continuar no cargo. Isso é urgente, é uma emergência da mais alta magnitude!”, emendou.

Um pedido de impeachment de Trump foi aprovado pela Câmara em janeiro de 2020, mas rejeitado pelo Senado de maioria republicana.