Policial morto no Capitólio estava há 18 anos na corporação

A Polícia do Capitólio divulgou a identidade do policial morto após incidente no Capitólio, em Washington, na tarde desta sexta-feira, 2. Segundo comunicado, o agente se chamava William Evans e era conhecido pelo apelido Billy. Ele estava na corporação há 18 anos, desde 7 de março de 2003. “Por favor, mantenham o policial Billy e sua família em suas orações e pensamentos”, pediu a chefe interina da polícia, Yogananda Pittman.

Evans patrulhava a região por volta das 14h (horário de Brasília), quando um homem em um sedam azul invadiu a área cercada e atropelou o agente e um colega. O suspeito foi baleado e também morreu depois de sair do carro carregando uma faca.

De acordo com vários veículos da imprensa americana, o homem se chamava Noah Green, tinha 25 anos e era de Indiana, mas sua identidade não foi confirmada pelas autoridades de segurança.

Heroísmo

A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, afirmou, em comunicado, que o Congresso está preparado para ajudar autoridades de segurança nas investigações sobre o incidente no Capitólio, em Washington, nesta tarde, que acarretou na morte do policial Willians Evans.

Na nota, a deputada chamou o agente de “mártir da nossa democracia” e expressou gratidão pelo trabalho da polícia. “Hoje, mais uma vez, esses heróis arriscaram suas vidas para proteger o nosso Capitólio e nosso país, com a mesmo altruísmo visto em 6 de janeiro”, destacou, em referência à invasão da sede do legislativo americano durante sessão que certificou a vitória de Joe Biden nas eleições de 2020.

Pelosi pediu para que nunca se esqueça do “heroísmo” daqueles que trabalharam para defender a democracia. “Que sirva de conforto para a família do policial Evans que o fato de tantas pessoas estarem de luto com eles e por eles neste triste momento”, concluiu.