Putin diz que decidirá nesta segunda sobre independência de Donetsk e Luhansk

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que tomará uma decisão nesta segunda-feira, 21, sobre o reconhecimento da independência de Donetsk e Luhansk. A questão é alvo de um pedido do Legislativo da Rússia (Duma) e fonte de divergência com a Ucrânia.

Segundo Putin disse nesta segunda, seu homologo francês, Emmanuel Macron, afirmou que a Ucrânia está pronta para implementar os Acordos de Minsk, assinados em 2015 com o objetivo de pacificar os conflitos em regiões separatistas na Ucrânia.

Em reunião do Conselho de Segurança russo, o principal negociador sobre a situação em Donbass, Dmitry Kozak, disse acreditar que a Ucrânia “não irá aderir nunca aos acordos de Minsk”. “Precisamos responder à pergunta, feita há um longo tempo, sobre o reconhecimento de regiões separatistas”, disse Putin. “Vemos as ameaças e a chantagem pelo Ocidente. Vemos e sabemos por quê as fazem”.

O presidente russo afirmou não ter pedido aos membros do conselho suas opiniões com antecedência. “O que está acontecendo agora é que eu gostaria de saber suas opiniões sem nenhuma preparação anterior”, afirmou. Uma a uma, diversas autoridades ligadas à segurança da Rússia defenderam o porquê de acreditarem que Donetsk e Luhansk, que integram a região de Donbass, devem se tornar independentes. Os discursos pontuaram que os cidadãos locais têm o russo como a língua-mãe.

Putin ressaltou que a questão era sobre a independência da região. “Não estamos discutindo sua adesão ao nosso território”, afirmou.