Vacina não aboliu os cuidados

Para o virologista Anderson Brito, que vive em Connecticut, a única coisa que mudou foi a sensação de estar protegido e saber que não sofrerá tanto com a doença se for exposto ao coronavírus. “Mas o receio de poder transmitir o vírus ainda existe. Então, o uso de máscara e evitar locais fechados continuam como normas.”

Sua rotina segue igual, trabalhando em casa. Brito é taxativo ao dizer que a vacinação só trará reflexos para a população, no controle da transmissão viral, quando houver 60% ou mais imunizados – a quantidade depende de quão transmissível está o vírus. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.