Com 80% de ocupação de UTI, governador amplia toque de recolher na Bahia

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), anunciou neste domingo, 21, que vai endurecer as regras do toque de recolher no Estado, em vigor desde sexta-feira, 19, depois que a ocupação de leitos de UTI exclusivos para covid-19 chegou a 80%. A partir desta segunda, 22, a medida valerá das 20h às 5h do dia seguinte – até então, o horário era das 22h às 5h. As restrições também passam a atingir as regiões de Jacobina e Irecê, não incluídas no decreto original. Apenas o oeste do Estado continua fora do toque de recolher. As medidas serão detalhadas em edição extra do Diário Oficial do Estado que será publicada ainda neste domingo.

O governador também anunciou outras restrições a atividades econômicas na Bahia. “O atendimento presencial em bares e restaurantes será até 18h. O funcionamento do transporte metropolitano até 20h30. Delivery de alimentos até 23h. Medidas visam conter avanço do coronavírus. Estamos vivendo um momento extremamente grave e conto com a compreensão de todos”, explicou em publicação nas redes sociais.

Medidas mais duras, como a proibição de funcionamento de atividades não são descartadas, caso a situação se agrave. No primeiro dia do toque de recolher, 17 pessoas foram autuadas pela Polícia Civil por desrespeito ao decreto, cinco delas em Salvador e 12 no interior do Estado.

Na manhã deste domingo, a Secretaria de Segurança Pública informou ter autuado mais 23 pessoas por descumprimento do toque de recolher, entre a noite de sábado e o início da manhã deste domingo, na capital, na região metropolitana e no interior. Segundo Rui Costa, quem desrespeitar o decreto pode ser indiciado por crime contra a saúde e a ordem pública.

Com 369.144 casos confirmados do novo coronavírus e 11.191 óbitos provocados pela covid-19, a Bahia enfrenta um recrudescimento da pandemia, com aumento de casos e mortes decorrentes da doença.

A situação tem pressionado o sistema de saúde, que, neste sábado, registrou o maior número de internados em UTIs desde o início da crise sanitária. Foram 868 pacientes adultos e pediátricos hospitalizados em leitos de terapia intensiva. Anteriormente, o pico foi registrado em 2 de agosto de 2020, quando 857 internações em UTIs foram contabilizadas.