Com apoio do MEC, EMBRAPII amplia rede de inovação em universidades federais

Oito novos grupos de pesquisa de universidades federais foram selecionados e serão credenciados pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII). As novas Unidades EMBRAPII terão disponíveis R$ 15 milhões não reembolsáveis para investir em projetos de inovação realizados em parceria com a indústria – R$ 10 milhões são provenientes do Ministério da Educação (MEC) e R$ 5 milhões do Programa Rota 2030.

Segundo o Secretário de Educação Superior, Wagner Vilas Boas de Souza, “nos últimos 12 meses o MEC ampliou fortemente o apoio para o credenciamento de novas unidades de inovação EMBRAPII nas universidades federais, por entender que esse modelo da união de esforços entre a academia por meio dos seus professores, pesquisadores e estudantes com as empresas é fundamental para a formação e o processo inovativo para o desenvolvimento do país”.  

O credenciamento de novas unidades pretende atrair empresas pelo fomento não reembolsável e pela capacidade de geração de soluções tecnológicas das universidades federais. A iniciativa prevê a alavancagem de recursos privado em inovação, à medida que o modelo de financiamento via EMBRAPII exige a contrapartida financeira por parte do setor empresarial. A meta das novas unidades é gerar 75 projetos e cerca de R$ 36 milhões em investimentos de inovação. 

Os projetos poderão ser desenvolvidos nas áreas de bioeconomia; mineração sustentável; geração, transmissão e distribuição de energia elétrica; agricultura, processos agroindustriais, tecnologias de alimentos e ainda em mobilidade, incluindo eletromobilidade. 

“Houve um crescimento no número de Universidades Federais na rede de Unidades EMBRAPII. Até o início do ano passado, eram apenas seis credenciadas e hoje chegamos a cerca de 30% da rede de instituições. É um claro reconhecimento do modelo da EMBRAPII como promotor da interação da Academia com as empresas e de sua contribuição para o aumento da inovação na indústria com apoio da pesquisa nacional”, destaca o diretor-presidente Jorge Guimarães.

Selecionados

Os oito novos grupos de pesquisas atuam nas seguintes instituições: Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – as duas últimas atuarão no âmbito do Programa Rota 2030, iniciativa federal para promover mais inovação na cadeia produtivo do setor automotivo.

Com o resultado, passa para 26 o número de Unidades EMBRAPII em 23 universidades federais – o que representa mais de 30% de todas as instituições vinculadas à Secretaria de Educação Superior do MEC. As selecionadas se juntam aos 18 grupos de trabalho já credenciados das Universidades UFCG, UFMG, UFRJ, UFU, UFSC, UFRGS, UFAL, UNIFESP, UFSCar, UFABC, UFV, FURG, UFSM, UFLA, UFC, UFPE, UFG. 

Elas estão à frente de 310 projetos, de 197 empresas apoiadas, somando R$ 473 milhões em investimentos. Ao todo, a rede credenciada da EMBRAPII conta com 72 unidades.

Programa Capacitação 4.0

Além de promover a conexão com o setor industrial para inovar, a entrada das novas universidades federais no ecossistema da EMBRAPII permitirá um aprimoramento à formação profissional dos estudantes. A iniciativa faz parte do programa do Ministério da Educação Capacitação 4.0, que valoriza o aprendizado a partir de experiências reais. 

Os estudantes, da graduação à pós, participam ativamente de todas as etapas de um projeto de inovação, desde o planejamento das ações e relacionamento com os clientes, passando pelo desenvolvimento da tecnologia nos laboratórios até a entrega do produto. Dessa forma, além do conhecimento técnico, o programa permite ao aluno o desenvolvimento de habilidades socioemocionais, como persuasão, negociação, gerenciamento de projetos, comunicação e liderança. 

Mais de 700 qualificados estudantes e jovens pesquisadores participaram do desenvolvimento de projetos EMBRAPII e 91% afirmam que o envolvimento com projetos EMBRAPII agregou conhecimentos práticos importantes para sua carreira profissional.