Crianças em casa: alerta geral e atenção com produtos de limpeza

Desde o início da pandemia, as crianças têm passado mais tempo em casa. Isso aumenta os cuidados de quem fica responsável pelos pequenos, afinal, nem sempre ele têm noção do perigo, são curiosos, aventureiros e sem a supervisão necessária uma simples brincadeira pode virar uma tragédia.

Os cuidados que os pais e responsáveis devem tomar envolvem todos os ambientes da casa. É preciso ter atenção com os fogões, fornos, escadas, sacadas, janelas, tomadas, móveis, piscinas, armazenamento de produtos de limpeza, entre outros que podem causar um acidente.

De acordo com registros da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a intoxicação por produtos de limpeza em crianças cresceu durante a pandemia. Não têm informações que apontem “o vínculo definitivo entre a exposição e os esforços de higienização e desinfecção para evitar a disseminação da Covid-19, parece haver uma associação temporal com o aumento do uso dos produtos” ou ter relação ao fato de as crianças passarem mais tempo em casa.

Dados apresentados pela Anvisa apontam que de janeiro a abril de 2020, os casos de crianças intoxicadas cresceram 6% ao serem comparados ao mesmo período do ano anterior e quase 2% em relação a 2018. Os números salientam que os acidentes domésticos envolvendo exposição tóxica a substâncias químicas são mais frequentes com o público infantil.

Confira algumas orientações da Anvisa:

1- Manter os produtos de limpeza fora do alcance de crianças e animais. Esses produtos podem atrair a atenção principalmente de crianças pequenas, entre 1 e 5 anos de idade;

2- Evitar armazenar esses produtos em recipientes diferentes e não etiquetados;

3- Supervisionar as crianças, não permitir que elas acessem os ambientes onde esses produtos são guardados;

4- Não deixar detergentes e produtos de limpeza em geral embaixo da pia ou no chão dos banheiros.

5- Ler e seguir as instruções descritas no rótulo de cada produto;

6- Evitar misturar produtos químicos;

7- Garantir a ventilação quando ocorrer o manuseio desses produtos destinados à limpeza, higienização e desinfecção;

8- Inutilizar as embalagens vazias, pois elas ficam com resíduos, ou seja, restos dos produtos;

9- Em caso de emergências toxicológicas, não provocar o vômito e buscar atendimento clínico.

Da Redação

TOLEDO