Episódios históricos: as crendices do mês de agosto

O mês que não tem, longo por não ter feriado; para o supersticiosos é o ‘mês de desgosto’; o mês que venta demais; o mês do ‘cachorro louco’… chegou agosto! Essa má fama de agosto é antiga e não existe apenas no Brasil; fatos históricos de outros países também contribuem para que essas crendices sejam tão populares.

“A Primeira Guerra Mundial começou no dia 1º de agosto de 1914, cito este como um dos piores episódios deste mês”, relata o historiador, Marco Antonio. “Já em 1945, na data de 6 de agosto foi lançada a bomba atômica na cidade Hiroshima no Japão, outro importante e triste fato histórico”.

Ao pontuar os acontecimentos no Brasil, o historiador recorda trágicos episódios políticos envolvendo os presidentes. “Em agosto de 1954 e de 1976, respectivamente, Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek faleceram. Já em 1961, Jânio Quadros renunciou à presidência”.

Em relação aos períodos mais antigos, o profissional cita que os antigos romanos atribuíam os episódios ruins de agosto ao fato de verem no céu um dragão cuspindo fogo, e isso era um sinal de maus presságios. Contudo, devido a estação, era a constelação de Leão que fica mais visível.

“Essas análises são muito pontuais e deve ser levado em consideração a região, as condições climáticas, a cultura e a história de cada uma. Além das crendices, também temos fatos históricos positivos ocorrido em agosto. O fato de ser um mês sem feriado nacional traz a sensação de ser muito longo o período do dia 1º ao dia 31”, conclui.

Da Redação

TOLEDO