Faremos geopolítica das vacinas quando entrarmos em produção regular, diz Mourão

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta segunda-feira, 26, que o Brasil irá “fazer a geopolítica” das vacinas contra a covid-19 e ajudar os vizinhos da América do Sul quando for capaz de produzir imunizantes contra a doenças. Para o vice-presidente, existe uma “diplomacia da pandemia” que vem sendo executada na qual China e a Rússia “estavam muito agressivas”. “Nós também vamos fazer uma geopolítica das vacinas a partir do momento em que entrarmos em uma produção regular destas”, completou.

Nesta segunda-feira (26), durante transmissão promovida pelo Valor Econômico, Mourão afirmou que “as ajudas (internacionais) se destinam a países que têm dificuldade para fazer avançar o combate à pandemia”. “No Brasil pode-se questionar medidas e estratégias, mas nós temos a capacidade de produzir as vacinas que nossos vizinhos não têm”, disse.

No sábado (24), o secretário de Estado americano Antony Blinken anunciou que os Estados Unidos devem enviar ajuda humanitária para a Índia, diante dos sucessivos recordes de casos registrados nos últimos dias. “Acho que, na avaliação do governo americano, apesar dos problemas que o Brasil enfrenta, (estes) são menores que os da Índia no momento. Apesar do nosso número de óbitos, a quantidade de casos – face à superpopulação da Índia – tende a ser um perigo muito grande”, disse Mourão.