Guedes: Prefiro voucher a Fies porque é transferência direta de renda

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o mau desempenho da educação brasileira é resultado da dificuldade de manter a qualidade com a universalização e de “indisciplina, violência na sala de aula e desrespeito aos professores”.

Em audiência na Comissão de Educação nesta terça-feira, 1º, Guedes rebateu críticas e disse que a situação atual não é culpa do governo de Jair Bolsonaro. “Por que há essa deterioração no clima educacional, será que foi o Bolsonaro que fez isso? Vocês oposição têm que ser honestos também nas buscas das respostas ao desafios. Tem 30 anos de outra orientação na Educação, será que em um ano e meio conseguimos criar o desrespeito na sala de aula, a deseducação, os maus resultados do Pisa?”, questionou.

Guedes disse ainda preferir um programa de vouchers para acesso a universidades e escolas – que vem sendo estudado pelo governo mas não tem previsão de lançamento – do que financiamentos estudantis como o Fies.

“O Fies deve continuar, mas houve um excesso muito grande. Prefiro voucher a Fies porque é transferência direta de renda. Respeito quem defende vinculação para Educação, mas defendo desvinculação geral do orçamento”, acrescentou.