Lemann: Projetos financiados com crédito de carbono evitariam desmatamento

Com os olhares do investidor estrangeiro concentrados no avanço da devastação da Amazônia, o empresário Jorge Paulo Lemann afirmou neste domingo, 7, que projetos ecológicos financiados com créditos de carbono evitariam o desmatamento da floresta. “Ë uma tendência para os próximos anos”, declarou ele, em live com empresários e políticos intitulada “Live do Parlatório”.

Criados a partir do Protocolo de Kyoto, em 1997, créditos de carbono são certificados emitidos a empresas que tenham reduzido a emissão de gases poluentes. Os títulos podem ser negociados no mercado.

No mesmo evento, Lemann defendeu “tratar bem os estrangeiros” para atrair investimentos e citou as recentes rusgas entre o governo brasileiro e líderes europeus em torno do desmatamento da Amazônia.

A live contou com a participação de grandes nomes do empresariado brasileiro, como o presidente do Conselho de Administração do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, o CEO da BR Distribuidora, Wilson Ferreira Jr, que deixou o comando da Eletrobras em janeiro, e o diretor do Banco Safra Joaquim Levy, ex-ministro da Fazenda na gestão Dilma Rousseff e ex-presidente do BNDES no governo Bolsonaro. O ex-presidente Michel Temer e o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro também marcaram presença e fizeram perguntas a Lemann.