Produtores pedem prorrogação do prazo para plantio do milho

Máquinas no campo indicam que a colheita da soja já começou na região Oeste. Apesar da estiagem em 2020, o atraso no plantio do grão e, posteriormente, o excesso de umidade no início deste ano, o produtor intensifica a colheita da soja e inicia o plantio do milho safrinha, uma vez que o período de zoneamento para a semeadura está curto.

Na Regional de Toledo, segundo dados do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (Seab), a área da soja na safra 2020/2021 é de 487.420 hectares. A projeção estimada é de 1.851.707 toneladas do grão.

De acordo com a engenheira agrônoma e técnica do Deral no Núcleo da Seab de Toledo Jean Marie Ferrarini, a colheita da soja na Regional avançou, aproximadamente, 22%. “A região de Palotina está mais adiantada, com 35% colhido e o município de Toledo mais atrasado, com 13%”, comenta ao lembrar que a colheita se estende até final de março.

Segundo Relatório Mensal da Seab, divulgado no último dia 25, cerca de 10% da área ainda a colher apresenta condição ruim, 15% médio e 75% apresenta boas condições.

Em relação a área do milho safra de verão, Jean Marie pontua que a produção é bem reduzida. A área do grão representa 2.895 hectares e a produção estimada é de 26.634 toneladas.

REFLEXOS – Os problemas com a estiagem que os produtores enfrentaram no ano passado refletiram no atraso em, aproximadamente, um mês o plantio da soja. Com isso, gerou uma especulação se esse episódio poderia afetar a produtividade das lavouras.

A engenheira agrônoma explica que a falta de chuva interferiu sim, porém o excesso de chuvas e a falta de luminosidade em janeiro também interferiu na soja. “Diminuiu a formação de vagens; as doenças também afetaram, pois foi difícil fazer aplicações”.

ZONEAMENTO – Com o período do zoneamento para a semeadura do milho safrinha apertado, no campo há uma corrida contra o tempo para colher a soja e planta imediatamente o milho safrinha. O presidente do Sindicato Rural de Toledo Nelson Paludo lembra que o período do zoneamento no município encerra no próxima dia dez.

“Estamos em contato com o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar) e a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep) solicitando ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) que prorrogue o prazo de semeadura do milho safrinha por dez dias para dar um fôlego para os produtores que ainda não iniciaram o plantio do milho safrinha para terem a proteção do seguro”, salienta.

Para o milho segunda safra, a engenheira agrônoma e técnica do Deral no Núcleo da Seab de Toledo, Jean Marie Ferrarini lembra que a área será de 425.000 hectares e a projeção é de 2.500.009 toneladas.

Da Redação

TOLEDO