Reforma e ampliação na residência: orçamento inicial pode não atender a expectativa

A reforma e ampliação da casa própria pode ser a realização de um sonho. Quem encara uma obra corre o risco de sofrer os ônus, contudo, os bônus sempre compensam. Antes de iniciar o projeto é preciso projeção orçamentária para aquisição dos materiais, pagamento de mão de obra, despesas adicionais que podem surgir no decorrer do cronograma para não ficar no vermelho.

A representante comercial, Maria da Graça, colocou em prática o projeto da área de festa. “Faz mais de cinco anos que nos planejamos para ampliarmos a edícula. Finalmente, conseguimos tirar esse desejo do papel e foi possível iniciar os trabalhos”.

Maria conta que a projeção inicial era começar a ampliação em março do ano passado – período em que ela e o marido estavam de férias – contudo, diante do aumento no valor dos materiais de construção, o casal decidiu esperar até o fim para poderem contar com o 13º salário.

“Com o acréscimo na linha de materiais de construção, optamos em aguardar. Logicamente, que já tínhamos a noção de que a tabela não iria cair no fim do ano, mas os recursos que entram neste período, o repasse dos lucros e o 13º salário, seria mais um aporte”, explica.

Apesar do casal ter se programado para começar a ampliação em dezembro não possível ‘colocar a mão na massa’. “Esbarramos em outro problema: falta de mão de obra especializada para executar os serviços. Começamos uma verdadeira saga para conseguirmos mestre de obra, pedreiro e auxiliar para fazer o serviço. A resposta era: ‘Já temos obras em andamento’ ou ‘Vamos tirar férias em dezembro’. Diante disso, só conseguimos encontrar profissionais disponíveis em janeiro”.

PROJEÇÃO x ORÇAMENTO – Para a área de ampliação, a projeção inicial de investimento do casal era de aproximadamente R$ 45 mil. Entretanto, Maria acredita que até o fim da obra o gasto será mais elevado. Ela conta que os serviços ainda estão na fase inicial, mas já surgiram alguns pontos que irão precisam de reparos, os quais não estavam na cotação inicial.

“Assim que os pedreiros começaram os trabalhos já foi visto que será preciso ampliar a área de calçada, além da troca de algumas calhas. Isso não estava no orçamento inicial. Também temos a experiência de que geralmente gastamos mais com uma obra”, pontua ao relembrar que outras reformas e ampliações também teve mais gasto que o projetado.

Entre os impasses da obra, Maria destaca os ‘transtornos’ e dificuldades em realizar ampliação e reforma morando na casa. “Mesmo com os cuidados da equipe é normal gerar sujeira, coisas de obra, mas que exigem mais trabalho, mais limpeza. O importante é mantermos o foco no orçamento, ter paciência porque nem sempre o trabalho será concluído de acordo com o cronograma inicial”, conclui.

Da Redação

TOLEDO