Seis projetos inovadores de proteção da natureza são selecionados para receber apoio financeiro

Seis projetos inovadores voltados à conservação da natureza receberão apoio financeiro da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza para serem desenvolvidos a partir de 2021. As ações, escalonáveis e com capacidade de serem replicadas em todo o país, são voltadas ao desenvolvimento do turismo em áreas naturais, proteção da biodiversidade, conservação de patrimônios naturais e fortalecimento das populações locais.

A seleção foi realizada ao longo de 2020 pela “teia de soluções”, iniciativa com processos de cocriação, mentoria e seleção de iniciativas. “A conservação da natureza tem enorme potencial de desenvolvimento socioeconômico, sendo o turismo uma das atividades com maior capacidade de proteção ao meio ambiente. Ao atrair pessoas para conhecerem, de maneira responsável, paisagens e belezas naturais do país, o setor mostra que é possível unir estes dois pontos”, afirma a diretora executiva da Fundação Grupo Boticário, Malu Nunes, reforçando que projetos como os selecionados são ainda mais necessários em um momento em que as atividades precisam se recuperar dos efeitos da pandemia.

Durante o ano, foram promovidos dois processos seletivos on-line. Um deles – a Chamada – esteve voltado à seleção de projetos para fortalecer o turismo em áreas naturais em todo o Brasil. O outro foi o Conservathon, uma maratona de ideação que envolveu mais de mil pessoas de todo o país para pensar soluções inovadoras para o desenvolvimento e a conservação da Grande Reserva Mata Atlântica – o maior remanescente contínuo do bioma no Brasil, abrangendo 50 municípios de São Paulo, Paraná e Santa Catarina.

Confira abaixo os seis projetos que receberão apoio financeiro da Fundação GrupoBoticário:

e-Natureza

e-Natureza, da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, tem por objetivo oferecer um conjunto de experiências para promover a saúde e o bem-estar de quem visita áreas naturais e comunidades vizinhas.

A ideia é desenvolver um manual de boas práticas para o turismo de bem-estar na natureza, que inclua ações como cursos de formação on-line para gestores de unidades de conservação e profissionais de saúde, além de atividades em campo, como contemplativas, observação de aves e natureza, banhos de floresta e interpretação ambiental. Com isso, espera-se qualificar, com fundamentação científica, o setor em expansão de turismo de bem-estar na natureza.

eTrilha

eTrilha é uma plataforma digital que permite a conexão entre três vetores das trilhas ecológicas: as unidades de conservação, o visitante e a cadeia produtiva do entorno, potencializando uma relação de consumo sustentável entre eles. A ferramenta pode ser customizada para diferentes áreas geográficas e unidades de conservação e seu gerenciamento é realizado de forma descentralizada, garantindo escalabilidade global à solução.

Nessa linha, a plataforma espera engajar o público na visitação de trilhas ecológicas em todo o Brasil e conscientizar os praticantes sobre a importância da preservação. Ao dar mais visibilidade para a prática, o eTrilha também ampliará o alcance dos prestadores de serviços locais, criando um ciclo virtuoso de preservação ambiental e geração de renda.

Vivalá

Vivalá promove, desde 2017, expedições turísticas para unidades de conservação, com foco na interação com a natureza e com as comunidades locais. A empresa atua com o volunturismo e o turismo de base comunitária, modalidades de visitação responsável em que os viajantes podem contribuir positivamente com as pessoas e as regiões que estão sendo visitadas.

Além de atuar como operadora turística, a Vivalá tem um braço de capacitação profissional voltado para micro e pequenos empreendedores locais. O objetivo é que os serviços contratados durante as expedições sejam oferecidos pelas próprias comunidades do entorno das UCs, garantindo emprego e renda por meio da atividade turística sustentável.

SMART-Grande Reserva Mata Atlântica

SMART-Grande Reserva Mata Atlântica é uma solução que visa otimizar a gestão de unidades de conservação. Por meio de um software de monitoramento, os gestores conseguem gerar informações sobre a abundância e a distribuição de espécies, além de identificar possíveis ameaças a essas áreas, como invasores.

A plataforma permite aos gestores maior assertividade na condução de ações de patrulha e fiscalização dentro das áreas protegidas que, por serem bastante extensas, precisam de um monitoramento eficaz e rápido na identificação de problemas. O software SMART já é usado com sucesso em mais de 500 áreas protegidas de 47 países – entre Ásia, América Latina e África – e que agora é introduzido no Brasil. Inicialmente, a aplicação piloto será feita em duas UCs: uma privada no Paraná e outra pública em São Paulo.

Calculadora de ICMS Ecológico

Calculadora de ICMS Ecológico, ferramenta de conscientização e engajamento da sociedade que busca mostrar o retorno financeiro direto que os municípios recebem por terem unidades de conservação em seus territórios e como sua conservação e expansão podem ampliar a geração de recursos.

O objetivo da ferramenta é trazer informações de acesso livre à sociedade e a públicos específicos, como gestores públicos e jornalistas, fortalecendo a perspectiva ecológica para a temática de tributação e estimulando a correta aplicação de recursos oriundos do ICMS Ecológico – mecanismo tributário que destina montantes maiores do ICMS comum aos municípios que atendem critérios ambientais estabelecidos em lei.

Em 2019, somente nos estados de São Paulo e Paraná, que implementaram o ICMS Ecológico, foram distribuídos R$ 343 milhões a municípios que adotaram boas práticas ambientas. A legislação não obriga que o recurso seja gasto na área de meio ambiente. Entretanto, a calculadora pretende mudar esse cenário, criando uma maneira para que a sociedade possa cobrar seus governantes em relação a isso.

SEM² = Secagem de Erva-Mate Móvel

SEM² = Secagem de Erva-Mate Móvel é uma máquina que busca agregar valor à produção de erva-mate, viabilizando sua produção em regiões distantes da indústria de beneficiamento e estimulando o produtor rural a continuar cuidando de seu território nativo. A erva-mate é um produto relevante na cadeia produtiva nacional, notadamente no Paraná, contribuindo diretamente com a cultura, a economia e o bem estar das populações de 136 municípios. Com produções de pequeno porte, emprega mais de 100 mil pessoas, em sua maioria no manejo e colheita. Em média, 90% são micro ou pequenos proprietários com menos de 50 hectares cada.

No entanto, em áreas distantes como a região da Grande Reserva Mata Atlântica, o valor pago pelo insumo não compensa a logística para o seu envio à indústria de beneficiamento da folha. O SEM2 quer aproveitar o aprendizado que o setor cafeeiro teve nas últimas décadas, quando deixou de usar grandes maquinários de torrefação em favor de equipamentos 10 vezes menores para criar um secador móvel de erva-mate, reduzindo custos para os produtores e ao mesmo tempo garantindo a rastreabilidade da produção, que hoje não acontece no setor ervateiro.

Outras duas ideias desenvolvidas ao longo do Conservathon receberão apoio financeiro da Fundação Araucária, agência de fomento à pesquisa e à inovação no Paraná.