Sete passeios para contemplar a Mata Atlântica

Presente em 17 estados brasileiros, a Mata Atlântica é um dos biomas mais ricos em biodiversidade do mundo. São cerca de 22 mil espécies de animais e vegetais, sendo que 8 mil delas são exclusivas desse ambiente natural. Entretanto, a fauna e a flora não são as únicas a chamar a atenção: o bioma reúne grande potencial turístico, cultural e histórico que ajuda a preservar a área e a impulsionar a economia regional.

Apenas 7% da cobertura original do bioma estão em bom estado de conservação, concentrados principalmente entre o litoral sul de São Paulo e o norte de Santa Catarina, área abraçada pelo movimento Grande Reserva Mata Atlântica, em 4 milhões de hectares de florestas, ambientes urbanos e área costeiro-marinha. A iniciativa reúne Unidades de Conservação, empresas, poder público, instituições, pesquisadores e comunidade local em um objetivo comum: aliar o desenvolvimento econômico e social da região com a preservação do meio ambiente.

O movimento foi criado principalmente para resgatar e fortalecer os atrativos e a cultura do maior remanescente de Mata Atlântica do Brasil, além de assegurar o desenvolvimento das comunidades situadas na região. Segundo o diretor da Serra Verde Express, Adonai Aires de Arruda, “o turismo local gera o fortalecimento dos negócios e o desenvolvimento econômico e social, promovendo uma convivência harmônica entre a sociedade e a natureza”.

Ele reforça ainda que o contato com o meio ambiente leva à conscientização da população em relação à conservação do bioma, “isso é muito importante para a regulação climática, abastecimento de água para agricultura, indústria e toda a comunidade, além da manutenção de encostas, evitando possíveis enchentes, dentre outros exemplos”, finaliza.

Nos 45 municípios em que está presente, a Grande Reserva Mata Atlântica reúne uma diversidade de paisagens e atividades, como as listadas a seguir.

  1. Passeio de trem pela Serra do Mar

Considerado o mais belo passeio de trem do Brasil, o roteiro pode ser feito de Curitiba (PR) a Morretes (PR) e também no sentido contrário. O trem passa por paisagens da Serra do Mar paranaense, como pontes, túneis, penhascos e cachoeiras, além de possuir várias curiosidades históricas. Programação e valores estão disponíveis no site da Serra Verde Express, companhia responsável pelo trajeto turístico. “É uma atração com paisagens naturais, belos cenários, fauna e flora que formam a Serra do Mar paranaense. Durante o passeio que proporciona a magia de estar a bordo de um trem turístico, o viajante consegue apreciar a natureza da Grande Reserva”, comenta Adonai Arruda Filho, diretor da Serra Verde Express. 

  1. Cavernas e cachoeiras no Alto Ribeira

O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR), localizado no estado de São Paulo, conta com dezenas de cachoeiras e mais de 300 cavernas. Por se tratar de uma área de preservação ambiental, nem todos os locais são abertos à visitação. Confira as cachoeiras e cavernas turísticas no site do PETAR, além dos valores para acessar o parque.

  1. Passeios de barco nas ilhas paranaenses

O litoral paranaense reúne paisagens naturais para sair da rotina do continente. A Ilha do Mel, por exemplo, tem cerca de 95% de sua área composta por ecossistemas de restinga e Mata Atlântica, é um dos principais destinos turísticos paranaenses, com praias e opções de caminhadas. O acesso é somente por barcos, que partem todos os dias de Pontal do Sul (PR) ou Paranaguá (PR). A sugestão é se programar e ficar mais de um dia na Ilha do Mel e aproveitar para se hospedar já na praia de Encantadas em excelentes pousadas. Outra opção é a Ilha de Superagui, parque nacional na divisa com São Paulo que reúne praias, comunidades tradicionais e espécies ameaçadas, garantindo a conservação da paisagem e da cultura caiçara. O acesso também é por barcos, que partem de Paranaguá ou Guaraqueçaba (PR).

  1. Boia cross no Rio Nhundiaquara

O passeio de boia é opção de lazer para quem visita a cidade histórica de Morretes (PR). O trajeto, nas pequenas corredeiras e em meio às pedras, é restrito a adultos e crianças acima de 12 anos e mais de 1 metro e meio de altura. O percurso de três quilômetros costuma durar duas horas e meia, com diversão e muito contato com a natureza.

  1. Passeio de escuna em Itapoá

Em Itapoá (SC), os turistas podem fazer um passeio de escuna no barco Pérola Negra. O percurso começa na Baía de Babitonga, passando por 14 ilhas. Durante o trajeto, que tem duração média de quatro horas e meia, há parada para banho e visitação na cidade histórica de São Francisco do Sul (SC).

  1. Ilha do Cardoso

Cananéia (SP), onde a Ilha do Cardoso está localizada, é uma das cidades mais antigas do Brasil. Foi descoberta em 1502 por uma embarcação portuguesa comandada por Américo Vespúcio. A ilha possui mais de 90% da sua área coberta por floresta nativa original, com praias e pequenos vilarejos. Os turistas podem visitar trilhas, cachoeiras, piscinas naturais e dunas, além de conhecerem a cultura e a tradição caiçara. O acesso é por barcos e, no trajeto, é possível observar garças, botos e golfinhos.

  1. Montanhismo no Paraná

A Serra do Mar paranaense conta com um conjunto de montanhas que virou ponto de encontro de escaladores e adeptos do montanhismo. O Morro do Anhangava, por exemplo, é um dos melhores campo-escola de escalada em rocha do Brasil, com vários graus de dificuldade em 1.420 metros de altitude. É um ponto para a prática de voo livre, escalada, rappel e passeios a cavalo. Outra opção é o Pico Marumbi, que resguarda muitas riquezas da Mata Atlântica brasileira, além de oferecer opções de trilhas, banhos de cachoeira e escaladas.

Da Assessoria