Sistema Fecomércio Sesc Senac PR lança aplicativo e competição contra o mosquito da dengue

A luta contra o mosquito da dengue ganhou mais um reforço. O Sistema Fecomércio Sesc Senac PR lançou o módulo Contra a Dengue que está hospedado no aplicativo Sesc Paraná. Será uma força tarefa em todo o estado para eliminar os criadouros do mosquito e registrar em fotos o antes e o depois.

A ação faz parte da campanha Aqui o Mosquito Não Entra, realizada pela Fecomércio PR, Sesc PR, Senac PR, Sindicatos Empresariais do Comércio e Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios.

A ação acontece em um momento em que o estado do Paraná está em alerta sobre o crescimento dos casos de dengue. Segundo o último boletim divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), na terça-feira (9), o Paraná já contabiliza nove óbitos e 3.927 casos confirmados de dengue.

São 223 municípios com casos da doença. No último boletim divulgado pelo setor de Endemias de Toledo, o município já tinha 354 casos notificados, 22 aguardando resultado, 320 descartados, dez casos confirmados autóctones, um caso importado e um caso inconcluso.

A coordenadora do setor Lilian Fátima Konig explica que um caso foi confirmado nesta semana e as equipes estão trabalhando com bloqueios nas regiões dos casos notificados no município. “Pedimos que a população nos ajude eliminado qualquer água parada”.

AÇÃO – O aplicativo é uma forma divertida de auxiliar no combate ao mosquito da dengue. A gerente do Sesc Toledo Paula Veronica Bernardini comenta que a dengue é uma doença que continua preocupando, por isso a iniciativa de colocar o cidadão como protagonista nesta batalha também.

“Essa proposta tem o objetivo de ter o maior número de remoções de criadouros do mosquito no Paraná. É uma ação que envolve todos os municípios. É um empoderamento do cidadão como agente neste papel de ação contra os criadouros”.

De acordo com os dados de infestação do mosquito, o contágio se dá pelos criadouros domésticos, aqueles que estão mais perto e mais fáceis de serem eliminados. Paula enfatiza que a população tem o poder de eliminar esses criadouros, por isso a importância do envolvido de todos nessa ação.

“Temos que aproveitar esse momento em que as pessoas estão mais tempo em casa e cuidar com mais atenção dos quintais para eliminar criadouros que podem estar em ralos externos, atrás da geladeira, vasos, pneus, entre outros lugares”, enfatiza.

PARTICIPAÇÃO – Para ter acesso à campanha digital de combate à dengue é necessário fazer o download do aplicativo Sesc Paraná nas lojas Play Store ou App Store e a inscrição do usuário e registrar a participação no aplicativo.

No ambiente do participante ficarão disponíveis funcionalidades como número de focos do mosquito já eliminados, galeria de fotos com registros de criadouros eliminados e a performance obtida com pontuação.

A cada eliminação o usuário ganha um ponto e há uma classificação a ser conquistada. Com cinco pontos obtidos, o participante se torna um aprendiz; com dez, agente; com 20, detetive; com 40, inspetor e, ao atingir 70 pontos, comissário.

“Na atualização de quinta-feira (11), a cidade de Umuarama está em primeiro lugar na pontua do combate ao mosquito. O aplicativo também traz a pontuação parcial das três primeiras cidades e os três primeiros participantes”, comenta Paula ao lembrar que a participação de Toledo ainda está pequena.

PREMIAÇÃO – Durante a realização da campanha, que será concluída em 10 de abril de 2021, serão premiados os participantes e os 100 primeiros inscritos que obtiverem dez pontos receberão um kit surpresa do Sesc PR.

No Sesc PR, o estado está dividido em 24 áreas de atuação e em cada área serão premiados com troféus os municípios e, com medalhas, as pessoas que melhor pontuarem. A área de abrangência do Sesc de Toledo envolve as cidades de Brasilândia do Sul, Assis Chateaubriand, Iracema do Oeste, Francisco Alves, Palotina, Maripá, Ouro Verde do Oeste, Jesuítas, Formosa do Oeste, São Pedro do Iguaçu e Tupãssi. No site do Sesc PR o público poderá ter acesso a mais informações sobre a campanha.

“Esse aplicativo é uma brincadeira séria. A nossa preocupação é trazer o olhar da população para esse assunto de que a dengue é grave e mata. Se temos em nossas mãos uma chance de eliminar os criadouros, vamos nos tornar agentes nessa ação. Também podemos tirar um tempo para ensinar para as crianças o seu papel como cidadãos nessa ação”, finaliza Paula.

Da Redação*

TOLEDO

*Com informações da Assessoria