MEI: Serviços e Construção Civil destacam-se no 1º quadrimestre de 2021

187

A procura pela formalização por meio do registro como Microempreendedor Individual (MEI) continua em crescimento em Toledo, diante das dificuldades e desafios da pandemia da Covid-19. Neste período, muitas pessoas viram no MEI uma oportunidade para trabalhar e gerar renda.

Segundo dados da Sala do Empreendedor, no 1° quadrimestre de 2021, foram abertos 510 novos CNPJ’S MEI, 23,18% a mais que no mesmo período de 2020, quando foram abertos 414 CNPJ’s MEI.

“No dados comparativos do 1° quadrimestre dos anos de 2020 e 2021, o ano de 2021 teve a criação de aproximadamente 100 CNPJ’s a mais que no ano anterior, mostrando que a criação de empresas do porte MEI continua sendo alternativa para geração de renda”, comenta a responsável pela Sala do Empreendedor, Fernanda Moreira ao complementar que as atividades mais buscadas para a formalização em Toledo continuam sendo do setor de Serviços e de Construção Civil.

ADAPTAÇÕES – No entanto, o período também contabiliza baixas, que são atividades MEI que são encerradas. Em algumas delas, realmente, o empreendedor parou com o negócio, em outros casos ele mudou de atuação ou migrou para Microempresa (ME). Fernanda explica que, em Toledo, no primeiro quadrimestre de 2020 não foi observada grande procura para baixa de CNPJ’s MEI.

“Estávamos entrando em período de pandemia e a crescente de baixas começou a ocorrer ao final do ano de 2020 quando os impactos econômicos se tornaram mais visíveis. Neste ano de 2021 até o momento, 140 CNPJ’s foram baixados e as principais justificativas são baixa comercialização de produtos e redução na contratação de serviços, levando estes empresários ao fechamento de suas empresas”.

A pandemia também provocado adaptações e mudanças do microempreendedor. Fernanda destaca que em alguns ramos, os empresários têm buscado a se adaptar para poder continuar desenvolvendo suas atividades, seja fechando ponto comercial e trabalhando somente com vendas via internet/WhatsApp ou no ramo alimentício optando pelo delivery.

BENEFÍCIOS – Ao sair da informalidade e atuar como microempreendedor individual, o profissional passa a ter alguns direitos. Fernanda explica que o porte Microempreendedor Individual (MEI) já traz em si benefícios, como baixo custo de manutenção, contribuição ao INSS, não exigência de contratação de escritório contábil. “O Município proporciona através da Sala do Empreendedor o apoio a esses empresários de forma gratuita e junto ao Departamento de Receita a possibilidade de redução de cobranças referente a taxas de verificação”, conclui.

Da Redação

TOLEDO