Toledo

Acidentes com mortes diminuem 69% nas rodovias federais, aponta PRF

Levantamento da PRF de Cascavel apontou redução de 69% dos acidentes com mortes (Foto: Divulgação/PRF)

Os acidentes com mortes nas rodovias federais que cortam a região Oeste, Sudoeste, Centro-Oeste e Norte do Paraná reduziram 69% no primeiro semestre deste ano. O levantamento é da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Cascavel, que levantou dados de 800 quilômetros de estradas que abrangem as BR’s 277, 369, 163, 467, 158, 487 e 272. O total de vítimas mortas caiu de 71 para 22, dessa maneira foram 49 mortes a menos do que o mesmo período do ano passado.

“A grande parte dos acidentes com óbitos teve como causa a saída de pista, ou seja, é motivada pelo excesso de velocidade. Por isso sempre que recebemos um estudo com os resultados que apontam onde os acidentes mais graves acontecem com mais frequência, nós intensificamos as fiscalizações com radares nesses trechos”, comentou o inspetor da PRF Antonio Gradin.

Entre janeiro e junho deste ano, foram atendidos 379 acidentes, número 41% menor que as 651 ocorrências atendidas no primeiro semestre do ano passado. O número de feridos caiu 35,8% no período, de 694 para 445. As principais causas de acidentes que resultaram em mortes foram a falta de atenção à condução (27,2%), velocidade incompatível (18,2%) e falta de atenção do pedestre (13,6%).

Os tipos de acidentes que mais resultaram em mortes foram colisão frontal e saída de pista (27,2% cada), colisão transversal (18,1%) e atropelamento de pedestre (13,6%). Ao longo do primeiro semestre deste ano a PRF de Cascavel flagrou 243 motoristas dirigindo sob efeito de bebidas alcoólicas, 2.884 manobras irregulares de ultrapassagem e 18.176 veículos acima da velocidade máxima permitida.

“Outro ponto que pode ter ajudado a diminuir esses números são os valores das multas, que aumentaram nos últimos meses, acabou causando uma mudança no comportamento do motorista. Infelizmente quando doe no bolso, o condutor acaba respeitando mais as regras de trânsito”, acrescentou o inspetor da PRF.

 

NÚMEROS NO PARANÁ

Já o levantamento de dados da PRF, que levam em consideração as rodovias federais que cortam todo o estado do Paraná, apontou para uma redução de 31,9% de acidentes com mortes, considerando o mesmo período de 2017, quando 335 pessoas morreram.

O total de feridos passou de 4.767 para 4.037 – uma queda de 15,3%. E o número de acidentes atendidos caiu 24,4%, de 5.415 para 4.092. As cinco principais causas presumíveis dos acidentes que resultaram em mortes foram, nesta ordem, falta de atenção do condutor (25% das mortes); falta de atenção do pedestre (20,2%); velocidade incompatível (16,7%); desobediência às normas de trânsito (14%); e ingestão de bebidas alcoólicas (4,8%). Mais da metade das mortes ocorreram em colisões frontais (26,8%) ou em atropelamentos (25,4%).

A maioria das pessoas perdeu a vida em ocorrências registradas pela PRF com pista seca e em trechos de reta. Homens correspondem a 82,6% dos óbitos. Trechos de pista simples responderam por 54,8% das mortes. Somados, o período noturno, o amanhecer e o anoitecer concentraram 64,5% dos óbitos. Os demais 35,5% ocorreram em situação de pleno dia.

Cerca de 42% das vítimas mortas tinham entre 21 e 40 anos de idade. Crianças menores de 11 anos representaram 1,8% dos falecimentos. Do total de pessoas mortas, 14,5% estavam em motocicletas e 8,3%, em bicicletas. Outros 25% eram pedestres. Somados, pedestres, motociclistas e ciclistas foram 47,8% dos mortos.