Toledo

Associações elegem membros para a comissão eleitoral da Utam

Após cinco anos, entidade vai eleger novo presidente no mês de março, conforme decidido em reunião esta semana (Foto: Silmar Ramos )

Atendendo a edital publicado no mês de dezembro, Assembleia Geral Extraordinária na noite de quarta-feira (9), na sede do Sindicato dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, presidentes e representantes de bairros da cidade e interior que integram a União Toledana de Associação de Moradores (UTAM) elegeu a comissão eleitoral que vai comandar o pleito da entidade marcado para o dia 23 de março.

Por unanimidade, foram eleitos para esta comissão, os presidentes Gilson Francisco (Jardim Panorama), Luiz Soares de Lima Filho (Associação de Moradores do Distrito de Dois Irmãos) e Siulene Berckembrock Magalhães (Jardim das Orquídeas) que abriram mão de ocuparem cargos nas futuras diretorias.

Segundo o interventor da Utam, Ederson André de Souza, a comissão eleitoral será responsável pelo recebimento da documentação das chapas que pretendem concorrer ao pleito, organizar o processo, fiscalizar o sigilo do voto e depois proclamar o resultado. “Os três membros não poderão participar de chapas que concorrem a eleição para promover a lisura do pleito. É importante que esse pleito seja transparente para que a entidade possa eleger os seus representantes e volte a ter sua representatividade de forma legal”, ressaltou Ederson.

Para concorrer ao pleito, as chapas interessadas podem se inscrever até 10 dias antes da eleição apresentando a documentação necessária de todos os componentes que precisam estar em dia com as obrigações do estatuto da Utam. A diretoria executiva é composta por 1 presidente, 2 vices, 2 secretários e 2 tesoureiros, mas também poderão ser apontados os membros para ocuparem outros departamentos.

A última eleição na Utam ocorreu em 2015 e nos anos seguintes, a entidade acabou sofrendo intervenção do Ministério Público que acatou ação movida pelas Associações de Moradores do Jardim Filadélfia e Carelli após a convocação de nova eleição, pedindo a suspensão do pleito que apontava irregularidades na convocação.