Toledo

Aumento de 5,9%: safra de grãos deve fechar 2019 com crescimento

(Foto: Janaí Vieira/Jornal do Oeste)

Dados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado em agosto pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que o país deve ter uma safra recorde de 239,8 milhões de toneladas neste ano. A perspectiva é que seja 13,3 milhões a mais do que em 2018. O Departamento de Economia Rural (Deral) de Toledo já fez as projeções da próxima safra de verão.

A produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas deve fechar 2019 com um crescimento de 5,9% em relação ao ano anterior. Conforme o IBGE, a alta de 5,9% deve ser puxada pela produção de milho, com tendência de crescimento de 21,5% em relação ao ano anterior. Já as outras duas grandes lavouras de grãos devem ter queda: soja (-3,9%) e arroz (-12,7%).

De acordo com o técnico do Deral de Toledo Paulo Oliva a safra de soja de 2018 não seria algo para ser levado como parâmetro, pois apresentou perdas significativas. “A estiagem e outras condições climáticas resultaram em perdas de aproximadamente 39,7%. Em nossa região tivemos uma produção de 1.087,672 toneladas”.

O profissional pontua que para a safra 2019/2020, a projeção de plantio para a cultura de verão é de 479,100 mil hectares com perspectiva inicial de colheita de 1.796,625 toneladas.

MILHO – “Temos boa perspectiva de aumento na área de plantio de milho. A cultura tem estimativa de crescimento e deve sair dos 4.975 hectares para 7.500 hectares. Já a projeção de colheita sai de 41 mil toneladas e salta para 69 mil toneladas. Vale ressaltar que são estimadas, contudo, dependemos de fatores externos como o clima e isso não temos controle”, evidencia.

MAIS PRODUTOS - Entre as outras lavouras de grãos em que se estima produção acima de um milhão de toneladas, deverão fechar o ano com alta o algodão (32,4%), o sorgo (13,9%) e o trigo (9,5%). O feijão, por outro lado, deve ter queda de 1,1% no ano. O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola também estima a produção de outros produtos agrícolas importantes. A maior lavoura do país, a de cana-de-açúcar, deve ter queda de 1,4%. Também são esperados recuos nas produções de café (-13%), laranja (-1%), tomate (-4,3%) e uva (-10,5%). Por outro lado, são esperados avanços nas produções de banana (3,8%), batata-inglesa (0,8%) e mandioca (4,1%).