Economia

Bolsas de NY fecham em alta com tom gradualista reforçado por Powell e Netflix

As bolsas de Nova York encerraram em alta nesta terça-feira, 17, após o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Jerome Powell, reforçar a predileção pelo gradualismo em depoimento ao Senado americano sobre a política monetária da instituição. Ações de tecnologia como um todo, em boa parte ajudadas pela Netflix, voltaram a ser destaque nos mercados.

O índice Dow Jones teve ganho de 0,22%, aos 25.119,89 pontos, enquanto o Nasdaq renovou o 24º recorde no ano, com avanço de 0,63%, para os 7.855,12 pontos. O S&P 500 subiu 0,40%, para os 2.809,55 pontos, mas o subíndice de tecnologia o superou, com alta de 0,81%.

Diante do Comitê Bancário do Senado, em Washington, Powell reforçou que o aperto monetário promovido pelo Fed obedecerá um ritmo gradualista, pontuando que esta "é a forma que temos para estender a expansão econômica". Foi a senha para os principais índices acionários nova-iorquinos deixarem o território negativo e renovarem máximas.

Investidores tiveram interpretação otimista também da reafirmação pelo banqueiro central de que "ainda não é possível declarar vitória em alcançar a meta de inflação" nos EUA.

Em meio ao repique das bolsas, o setor de tecnologia se situou novamente entre os destaques de alta no pregão. O ímpeto derivou, principalmente, da recuperação parcial das ações da Netflix, que abriram em queda livre de 12%, mas apagaram parcela significativa das perdas de hoje e fecharam em baixa de 5,24%.

"Os investidores devem aproveitar o recuo nas ações, já que as expectativas agora foram redefinidas e a dinâmica por trás do negócio da Netflix e a lucratividade da companhia permanecerão saudáveis", disse o analista Benjamin Swinburne, do Morgan Stanley.

No embalo dos papéis da empresa de streaming, os da Alphabet (Google) ascenderam 1,38%, os da Amazon subiram 1,18% e os do Twitter ganharam 1,02%.