Política

Bolsonaro: ideologia dominou escolas, mídia e invadiu lares para atingir família

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira, 24, em discurso na abertura da 74ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York (EUA), que a ideologia "se instalou no terreno da cultura, da educação e da mídia, dominando meios de comunicação, universidades e escolas". Bolsonaro disse, ainda, que a ideologia invadiu lares para "investir contra a célula mater de qualquer sociedade saudável, a família."

O mandatário brasileiro criticou o "politicamente correto" e afirmou que ele passou a dominar o debate público para "expulsar" a racionalidade. "O politicamente correto passou a dominar o debate público para expulsar a racionalidade e substituí-la pela manipulação, pela repetição de clichês e pelas palavras de ordem", discursou.

Depois de dizer que a ideologia "deixou um rastro de morte, ignorância e miséria por onde passou", Bolsonaro lembrou o atentado à faca que sofreu há um ano durante a campanha eleitoral, em Juiz de Fora, no interior de Minas Gerais. O presidente ainda se recupera da quarta cirurgia decorrente do atentado, realizada em 8 de setembro passado, em São Paulo. "Fui covardemente esfaqueado por um militante de esquerda e só sobrevivi por um milagre de Deus", disse o líder brasileiro.

O presidente disse, ainda, que a ONU "pode ajudar a derrotar o ambiente materialista e ideológico que compromete alguns princípios básicos da dignidade humana". Antes de finalizar o discurso com um agradecimento a Deus, voltou a citar uma passagem bíblica: "Nas questões do clima, da democracia, dos direitos humanos, da igualdade de direitos e deveres entre homens e mulheres, e em tantas outras, tudo o que precisamos é isto: contemplar a verdade, seguindo João 8,32: 'E conheceis a verdade, e a verdade vos libertarás'".