Estado

Cida trata do embargo do frango em reunião com Blairo Maggi

A governadora Cida Borghetti afirmou na quarta-feira (9) que o Governo do Paraná está mobilizado para tratar da questão do embargo da União Europeia à carne de frango. Em audiência com o ministro da Agricultura e Pecuária, Blairo Maggi, em Brasília, ela disponibilizou todo o aparato do Estado para ajudar na busca de soluções para a questão.

Cida destacou que a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) pode somar esforços a fim de agilizar medidas de solução. “Estamos determinados a ajudar nossos produtores”, afirmou Cida Borghetti. Ela considerou a audiência animadora, porque mostrou o empenho do ministério em buscar medidas positivas para a questão.

O secretário da Agricultura do Paraná George Hiraiwa participou do encontro e destacou o pedido de nova vistoria nos frigoríficos paranaenses. “Ainda neste mês de maio será aberto esse realistamento, para que em 60 dias haja nova vistoria das plantas. A expectativa com isso é que tenhamos uma sinalização do retorno dos produtos paranaenses à União Europeia”, explicou.

Hiraiwa explicou que o Governo do Estado também está atuando na área de comércio, avaliando potenciais mercados para os quais o produto paranaense pode ser direcionado. “Além disso, vamos conversar com as cooperativas e somar forças. Este é um momento em que o Ministério da Agricultura, a Secretaria da Agricultura e o setor precisam somar forças”, afirmou.

A prospecção de novos mercados para o produto brasileiro é uma das principais medidas adotadas pelo governo federal segundo o ministro Blairo Maggi. “Estou coordenando pessoalmente essa ação e conto com o apoio dos Estados, em especial do Paraná, que é o maior produtor brasileiro e tem papel fundamental no setor e especificamente neste trabalho”, afirmou Maggi.

Maior produtor e exportador avícola do País, o Paraná foi o mais prejudicado pelo embargo à carne avícola imposto pela União Europeia. Dos 20 frigoríficos embargados, oito estão no Estado. Em 2017, as exportações paranaenses de frango foram de US$ 2,5 bilhões. O setor gera, no Estado, 60 mil empregos diretos e 600 mil indiretos.

Segundo levantamento da Associação Brasileira de Proteína Animal, o embargo pode causar um prejuízo de R$ 550 milhões neste primeiro semestre e a perda de 45 mil empregos (diretos e indiretos) no País. Os números constam de documento enviado ao presidente Michel Temer. As perdas anuais seriam de cerca de R$ 1 bilhão.

Também participam da audiência o chefe da Casa Civil Dilceu Sperafico, o deputado federal Ricardo Barros e o secretário da Infraestrutura e Logística Abelardo Lupion.

Veja Também