Oeste rural

Colheita de trigo tem redução superior a 40% na Regional de Toledo

A lavoura de trigo do Paraná teve queda este ano.  As devido às condições climáticas não foram favoráveis. Os municípios do escritório do Departamento de Economia Rural (Deral) da Regional de Toledo tiveram uma redução na perspectiva de colheita. Além disso, o grão perdeu qualidade.

Dados da Regional de Toledo apontam que já foi colhida aproximadamente 85% da safra. “A previsão de colheita inicial era de 67 mil toneladas, contudo, diante do clima, os números devem chegar próximos a 39 mil toneladas, ou seja, uma redução superior a 40%”, pontua a engenheira agrônoma do Deral de Toledo Jean Marie Ferrarini.

Na avaliação da profissional, o trigo sofreu forte impacto devido à geada e o período de seca. “Isso foi péssimo para a lavoura, pois a estiagem ocorreu no estágio de floração das plantas. Esses fatores contribuíram para a redução da colheita e perda na qualidade dos grãos”.

Não foi apenas a colheita que reduziu. Em relação ao ano passado, a Regional também apresentou queda na área de plantio. Em 2016, a estimativa era de 23 mil hectares de solo para cultura. Já este ano, o espaço passou para 17 mil hectares. Na Regional de Toledo, o município com maior campo é Jesuítas (mais de três mil hectares), na sequência está São Pedro do Iguaçu (três mil hectares), Toledo (2.600 hectares) e Assis Chateaubriand (1.700 hectares). As demais cidades possuem extensões menores.

 

PRODUÇÃO

“O clima é algo que não podemos controlar e que interfere diretamente na produção. São situações que desanimam o produtor. A Regional de Toledo representa apenas 2% da produção de trigo do Estado e ela tem reduzido à área de plantio. Baixa colheita e perda na qualidade do grão desestimulam, mas o que, de fato, desanima o agricultor é o preço que está abaixo do custo de produção”, finaliza a engenheira agrônoma.