Esporte

Copa Oeste em Toledo serve de preparação para outras competições

Participação menor não diminuiu a qualidade das apresentações (Foto: Eliane C. Torres)

A primeira etapa da 13ª Copa Oeste de Ginástica Rítmica, realizada em Toledo, serviu de treino para as atletas que estão se preparando para as competições estaduais e nacionais, incluindo Jogos Abertos, Escolares e da Juventude, Campeonato Paranaense e Campeonato Brasileiro de Ginástica Rítmica. A competição reuniu equipes dos municípios de Toledo, Cascavel, Mercedes e Marechal Cândido Rondon.

A participação foi menor neste ano, mas as atletas que prestigiaram apresentaram um bom trabalho, o que é uma demonstração que a ginástica rítmica no oeste do estado está crescendo e se fortalecendo, segundo avaliou a coordenadora do evento, a técnica da Sadia, Adelina Magedanz Dalazem. “Por ser a primeira etapa da competição e a desistência de algumas prefeituras de apoiar a modalidade, tivemos uma participação menor do que nos anos anteriores. Além disso, é um novo ciclo que está iniciando, com novas coreografias, o que exige um pouco mais de tempo para as atletas se prepararem”.

Ela ressaltou também que a Copa Oeste serve de parâmetro e treino para as atletas que estão se preparando para competições oficiais da Federação e Confederação de Ginástica, além da Secretaria Estadual de Esportes, e comprova que a Copa Oeste continua cumprindo com o seu objetivo de oportunizar a estas meninas participar de competições, ganhando maior experiência em quadra.

Durante a Copa Oeste, a atleta Karine Walter, da Sadia, foi homenageada pelo coordenador da equipe de rendimento Pedrinho Furlan, pela conquista do oitavo lugar na final de bola no Torneio Internacional Corbeil Essones, nos dias 5 e 6 de maio. A ginasta foi finalista no aparelho bola entre as 24 concorrentes, representantes de vários países do mundo, classificando-se para a final.

Quem prestigiou a competição pode ver a série de bola da atleta, que teve um excelente desempenho em quadra. “A Karine apresentou a série aqui em Toledo, melhor do que na França. Se ela tivesse se apresentado lá assim, com certeza teria tido uma nota ainda melhor”, avaliou a técnica Gracieli Morais.

Conforme ela, a Karine, que está apenas com 16 anos, está crescendo e amadurecendo bastante e a expectativa é de que em toda a competição que ela participe, independente do nível e das adversárias, ela faça uma boa apresentação, para se preparar para o seu principal objetivo neste ano, que é o Campeonato Brasileiro de Ginástica Rítmica.