Toledo

Direito FAG aborda reforma trabalhista em aula magna

Juiz do Trabalho, advogado e presidente da OAB discutiram o tema junto com acadêmicos e professores do curso (Foto: Divulgação )

O curso de direito da FAG Toledo realizou na noite de quarta-feira (8) a aula magna com a presença de especialistas para discutir sobre a reforma trabalhista que completa dois anos de vigência em 2019. Um dos convidados foi o juiz da Justiça do Trabalho Sidnei Claudio Bueno. “Do ponto de vista social a reforma trabalhista não foi muito útil e não atingiu o objetivo divulgado que era de gerar empregos no país. É preciso entender todo este processo para atuar de forma mais justa possível dentro da nova legislação”, explica o magistrado.

A presidente da OAB de Toledo Anemere Dulaba Marcondes, também participou do debate. “A nossa instituição tem como papel primordial defender a Constituição Federal e os direitos dos cidadãos, por isso é importante discutirmos e entendermos, junto com os futuros profissionais, como estas mudanças impactam na nossa sociedade”, analisa.

O terceiro convidado para o debate foi o advogado Charles Alberi Schneider, que atua na área de Direito Trabalhista. “Muito do que foi dito na mídia na época da reforma acabou assustando os trabalhadores, na questão de ter que pagar indenizações para patrões no caso de se perder uma ação, por exemplo, mas na prática não é bem assim e muito disso ainda precisa ficar claro para todos. A legislação precisa ser benéfica para o trabalhador também”, comenta.

Antes de iniciar o debate a coordenadora do curso de Direito da FAG Toledo, Camila Ricci deu as boas vindas aos presentes e também aconselhou os acadêmicos para aproveitar a oportunidade de esclarecer dúvidas sobre o tema. “Nosso papel enquanto profissionais que atuam com a justiça é entender como tudo isto funciona na prática na nossa sociedade. Estar com este tema em pauta aqui é uma obrigação nossa e para os alunos é importante que aproveitem o momento para esclarecer dúvidas e apresentar outros pontos de vista a respeito da legislação”, afirma.