Região

Em um mês, 673 pessoas faltaram em atendimentos agendados no Ciscopar e 211 nas UBSs

A Secretaria de Saúde está apresentando, desde o mês de julho, o absenteísmo de cada unidade por meio de um banner informativo (Foto: Divulgação)

A Secretaria de Saúde de Maripá registrou nos últimos meses um alto índice de absenteísmo, ou seja, pessoas que faltaram em consultas e exames agendados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A maior falta ocorreu em exames gerais e consultas com especialistas realizadas por meio do Ciscopar, somando 673 casos de acordo com o último relatório emitido, referente ao mês de junho.

Nos serviços disponibilizados pelas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município, 211 faltas foram contabilizadas apenas em julho. No Centro de Saúde, foram 33 faltas ao dentista, 24 faltas em consultas de enfermagem, 52 na fisioterapia e 32 ausências nas consultas médicas. No distrito de Candeia, houve sete faltas ao dentista, uma falta em consulta de enfermagem e cinco ausências nas consultas médicas. Em Pérola Independente, duas pessoas faltaram ao dentista, quatro em consultas de enfermagem e 12 nas consultas com médico.

Número significativo de faltas também foi registrado na Unidade de Atenção Primária à Saúde da Família. Foram 23 ausências em consultas de psicologia e 16 de fonoaudiologia. Esses números correspondem a apenas 15 dias do mês de julho, visto que na outra quinzena a unidade estava fechada devido a férias dos servidores.

A Secretaria de Saúde está apresentando, desde o mês de julho, o absenteísmo de cada unidade por meio de um banner informativo. “Para um município de menos de seis mil habitantes esses números são altíssimos. O objetivo é conscientizar a população de que quando uma pessoa falta ao seu atendimento sem avisar, está excluindo a oportunidade de outra pessoa ser atendida e sobrecarrega as agendas dos profissionais de saúde”, explica a secretária da pasta Andréia Bento Maria Scudeller.

A orientação é de que os pacientes entrem em contato com as UBS’s com antecedência, seja por ligação ou pessoalmente, para justificar a ausência caso não possa comparecer ao atendimento por algum motivo relevante. Desta forma, o profissional terá tempo hábil de encaixar outro paciente no lugar.