Região

Estruturas da área de ação social passam por mudanças

Um dos principais compromissos da gestão do prefeito Adelar Arrosi em Ibema é conhecer e reestruturar setores públicos que dão suporte a programas, a ações e a atendimentos à população. Esses foram alguns dos princípios adotados para combater limitadores e tornar a área da ação social mais eficiente, dinâmica e resolutiva. “E os resultados já aparecem e são muito bons”, diz Arrosi, que cumpre sua terceira gestão no município.

Até o fim de dezembro de 2016, o Centro de Referência de Assistência Social, que atua com a prevenção (Cras), o Centro de Referência Especial de Assistência Social (Creas), que trabalha com a correção de problemas diversos, e a Secretaria de Ação Social, que atua com questões macros nas áreas da habitação, reabilitação e inclusão social, funcionavam em três estruturas físicas distintas. “Além de confusão, porque muitas pessoas se deslocavam a um lugar e o atendimento era em outro, essa divisão gerava lentidão e não havia o grau de satisfação e de respostas que as pessoas esperavam”, diz Arrosi.

As três unidades sofriam ainda de outro mal comum à esfera pública brasileira, o inchaço de servidores, que custa caro ao contribuinte e colabora para reforçar a imagem de que essas estruturas são pesadas e ineficientes, lembra o prefeito de Ibema. Para enfrentar essas dificuldades, Adelar Arrosi unificou o Cras, o Creas e a Ação Social, que passaram desde o início deste ano a atender em um mesmo endereço – na travessa Mato Grosso atrás da prefeitura. Além de facilitar o acesso dos usuários ao local, a mudança permitiu adotar um método de trabalho mais objetivo e simplificado.

As características de cada órgão foram preservadas, porém com os ajustes aplicados ao cotidiano de cada um deles obtém-se mais dinâmica e eficiência na condução dos atendimentos, cita o prefeito. “Os servidores sabem com mais precisão exatamente como devem proceder e as orientações que precisam ser passadas. Com isso, há velocidade nos atendimentos e a potencialização de esforços e recursos injetados na área da ação social. A lógica é simples: mais solução e menos burocracia”.

Com as mudanças, alguns servidores puderam ter suas competências melhor utilizadas, principalmente em consultas especializadas na área da saúde, como de psicologia, assistência social e nutricionista, afirma o prefeito. Os resultados alcançados até agora são tão bons que as informações e os indicadores já possíveis chegaram ao conhecimento de instâncias superiores do Cras e do Creas. Alguns chegam a analisar a possibilidade de a bem-sucedida experiência de Ibema possa, gradualmente, ser compartilhada com os órgãos que atendem outros municípios.

“Jamais tivemos essa pretensão. A preocupação sempre foi melhorar a qualidade dos serviços da ação social à comunidade de Ibema, o que já ocorreu. No entanto, estamos abertos a repassar esses conhecimentos para que mais pessoas, em outros municípios, se esse for mesmo o desejo, também possam usufruir de seus benefícios”, afirma Adelar Arrosi.