Esporte

F-1 terá boné vermelho e minuto de silêncio em homenagem a Lauda antes de largada

A Fórmula 1 fará homenagens a Niki Lauda, morto na segunda-feira, antes da largada do GP de Mônaco no domingo. Pilotos, mecânicos, dirigentes, amigos e colegas contemporâneos do austríaco vão segurar um boné vermelho, marca registrada do tricampeão mundial (1975, 1977 e 1984), durante um minuto de silêncio.

A Fórmula 1, a FIA, o Automóvel Clube de Mônaco e todas as dez equipes também estão convidando todos os espectadores presentes na corrida em Montecarlo para fazer sua própria homenagem ao piloto, que venceu em 1975 e 1976 no Principado, que recebe provas desde 1929.

A FIA sugere, aos fãs usarem uma touca vermelha, exibir uma mensagem em um cartaz ou simplesmente aplaudir, enquanto aqueles que assistem dos iates no porto são convidados a tocar suas buzinas.

Único piloto campeão pela Ferrari e McLaren, Lauda também recebeu homenagens das equipes, além da Mercedes, equipe na qual o austríaco tinha o cargo de consultor. Entre os pilotos, o tributo que mais chamou a atenção nos treinos livres de quinta-feira foi feito pelo alemão Sebastian Vettel, que colocou fotos da carreira do ex-campeão no seu capacete. E a Mercedes anunciou nesta sexta-feira que o halo do seu carro estará em vermelho em tributo a Lauda.

No ano passado, Lauda foi submetido a um transplante de pulmão, não passando mais a frequentar o paddock da Fórmula 1. Ele morreu aos 70 anos, em um hospital na Suíça, por causa de problemas renais.

Os carros voltam ao circuito de rua de Montecarlo neste sábado, às 7 horas (horário de Brasília), para a terceira sessão de treinos livres. A definição do grid acontece às 10 horas. A largada, no domingo, está prevista para as 10h10.