Esporte

Fabio Santos reclama de jogo do Atlético-MG às 11h: 'Quem perde é o espetáculo'

Pela segunda vez consecutiva como mandante neste Campeonato Brasileiro - a primeira foi a derrota por 1 a 0 para o Bahia -, o Atlético-MG entrará em campo às 11 horas, neste domingo, contra o Internacional, no estádio Independência, em Belo Horizonte, pela 19.ª rodada. O horário matutino, mesmo perto do almoço, costuma atrair a torcida, mas cria uma série de problemas para os clubes, que têm de mudar o planejamento durante a semana.

No caso do Atlético-MG, para melhor adaptação do elenco, quatro dos cinco treinamentos da semana foram marcados para o horário da manhã. Inclusive o desta quinta-feira na Cidade do Galo, em Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Quem revelou não gostar muito de jogar neste horário é o lateral-esquerdo Fábio Santos, que comentou que jogar às 11 horas será mais um desafio para o Atlético-MG quebrar a sequência ruim no Brasileirão - são quatro derrotas seguidas.

"Temos que ganhar. São dificuldades que teremos enfrentar e vamos encontrar essa dificuldade do calor. Eu não gosto de jogar neste horário, nunca gostei. Nunca consegui passar o dia bem após os jogos das 11 horas, sempre com dor de cabeça, passando mal. Já deixei isso claro. Temos treinado de manhã para ver se adapta. Quem perde é o espetáculo, com o calor muito grande", afirmou.

Para enfrentar o Internacional, o técnico Rodrigo Santana fará mudanças no time. Além de ter que achar um substituto para o volante Jair - lesionado na partida contra o Botafogo no último domingo -, deu indícios de que pode promover uma alteração no ataque alvinegro. Nesta quinta-feira, dividiu o elenco em três times e escalou o meia-atacante Bruninho entre os titulares, na vaga de Chará. em uma linha de três armadores, juntamente com Cazares e Vinícius, e com Ricardo Oliveira no ataque.

O provável time que entrará em campo neste domingo deve ser: Cleiton; Patric, Leonardo Silva, Réver e Fábio Santos; Martínez (Zé Welison) e Elias; Cazares, Vinícius e Bruninho (Chará); Ricardo Oliveira.