Estado

Gaeco cumpre mandado no gabinete de deputado na Assembleia Legislativa do Paraná

O escritório de Ademir Bier, em Marechal Cândido Rondon também é alvo da operação.
(Foto: Catve.com)

O Gaeco (Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado) deflagrou uma operação na manhã de segunda-feira (10) no Paraná.

As investigações apontaram irregularidades nas filas do SUS (Sistema Único de Saúde), nos quais empresários e médicos estão envolvidos no esquema. A ação foi batizada de Mustela em alusão ao gênero de mamíferos que inclui animais conhecidos como furões.

Segundo a assessoria do Gaeco, o esquema ocorre quando as pessoas procuram ou são procuradas por autoridades municipais e estaduais para obter um atendimento mais rápido através do SUS. Elas realizam o pagamento de uma consulta, e a partir daí são colocadas á frente na fila do sistema para serem atendidas o quanto antes.

O objetivo é obter celulares, documentos, e registros de computadores, para comprovar a investigação realizada em apoio com a Promotoria de Justiça de Campo Largo da situação que envolve o prejuízo das pessoas que procuram o atendimento do SUS de maneira correta.

São cumpridos 12 mandados judiciais de prisão temporária e 44 de busca e apreensão, nas cidades de Curitiba, Campo Largo, Marechal Cândido Rondon, Almirante Tamandaré, Campina Grande do Sul, Telêmaco Borba, Bandeirantes, Campo Magro, Colombo e Siqueira Campos.

Os mandados de busca e apreensão são cumpridos em 21 lugares ou pessoas. Um deles foi cumprido no gabinete Deputado Ademir Bier (PSD) da Alep (Assembleia Legislativa do Paraná) e também no escritório dele em Marechal Cândido Rondon. Outros foram cumpridos no diretório de um partido político, hospital, clínicas, e também contra dois médicos, assessores, secretárias e intermediadores, um deles vereador em Bandeirantes.

Fonte: Catve.com.