Toledo

Gás de cozinha tem novo reajuste

Consumidor vai sentir no bolso o aumento (Foto: Franciele Mota)

O gás de cozinha (GLP) está mais caro. O reajuste da Petrobras foi de 4,38%. No acumulado do ano, o GLP apresenta aumento de 5,2%, se comparado ao preço praticado em dezembro do ano passado.

A estatal informou que o reajuste ocorre devido à desvalorização do real frente ao dólar, que apenas entre março a junho foi de 16%, e ao reajuste de 22,9% do preço do GLP no mercado internacional no mesmo período.

O gerente de uma distribuidora Talis Rodrigues conta que a empresa já recebeu o aumento, mas que está sendo avaliado. “Estamos analisando a situação, fazer uma análise de mercado em Toledo antes de repassar esse aumento ao cliente”, conta. Ele vende o botijão de 13 quilos entre R$ 80 e R$ 85 dependendo do frete de entrega. Com o reajuste, o gás poderá chegar a R$ 88. “Vai impactar bastante para nós e para o consumidor também”, complementa.

 

CONCORRÊNCIA

Nos pequenos estabelecimentos o novo valor também preocupa. O gerente de uma revendedora de gás Alan Soares Ribeiro conta que recebeu na última segunda-feira o aumento de R$ 2,60 e que ainda também não repassou. “Estamos estudando o repasse. Já tiveram outros aumentos e agora mais esse”, cita.

No estabelecimento o gás é comercializado a R$ 85, mas ele conta que as vezes é preciso tirar um pouco da margem de lucro por conta da concorrência. “Se a gente vai colocar o preço certo os clientes reclamam, daí tem que tirar um pouco do lucro para aguentar a concorrência também”, lembra o gerente.

Em Toledo, o preço do gás não sofre muita variação. De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, o preço praticado entre os dias 1º de julho até o dia sete, em 12 estabelecimento era entre R$ 82 e R$ 85.    

 

REVENDA

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Entidades de Classe das Revendas de Gás LP Jose Luiz Rocha o valor do reajuste está dentro da média de oscilação, o problema que a revenda está sentindo é porque a distribuidora repassou para a revenda acima da média que a Petrobras aplicou.

O aumento de 4,38% é equivalente R$ 0,97 em um botijão de 13 quilos. Ele cita que as distribuidoras deveriam repassar esse valor mais os impostos, mas estão repassando a mais. “Em resumo as distribuidoras que envasam o gás estão subindo para revenda mais do que recebeu da Petrobras. E na prática o revendedor vai ter que repassar esse valor ao consumidor”, comenta ao lembrar da dificuldade do revendedor. “O mercado é muito concorrido e a revenda sempre tem a dificuldade de repassar, só que toda vez que um revendedor segura o preço ele entra numa situação financeira complicada”, conclui.