Toledo

Índices de exclusões e inclusões diminuem. Dados devem ser analisados

Em um acumulado de cinco anos, mais de R$ 28,3 milhões deixaram de circular na economia local.
Controle nas contas ainda é a melhor alternativa para não ter o nome ‘sujo na praça’ (Foto: Graciela Souza)

O volume de pessoas com contas em atraso e registrados nos cadastros de devedores ainda interfere na economia de Toledo. Em um acumulado de cinco anos, mais de R$ 28,3 milhões deixaram de circular na economia local. No Brasil, o número de cidadãos que não conseguem pagar suas contas segue elevado apesar do fim da recessão e atinge 62,2 milhões de pessoas. Por outro lado, quantidade de dívidas tem crescido em patamar mais moderado, também uma realidade do município.

Segundo dados apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) da Associação Comercial e Empresarial de Toledo (Acit), 4.135 documentos (CPF e CNPJ) - no acumulado dos meses de janeiro, fevereiro, março e abril deste ano – foram incluídos no sistema. Isso representa uma queda de -28% em comparação ao mesmo período de 2017, quanto totalizou 5.782.

O número de exclusão também teve diminuição no mesmo período, chegando a 2.734 em 2018, um decréscimo de -14% em comparação ao ano passado quando somou 3.179 casos.

Com relação ao mesmo documento ter vários registros de empresas diferentes ou várias parcelas de uma mesma dívida, o SPC incluiu 11.320 no sistema em 2018 contra 12.794 em 2017, uma queda de -11%. O órgão excluiu 6.797 do sistema neste ano e 7.480 no ano passado, isto é, -9%.

Sobre os índices, o vice-presidente da Acit Claudenir Machado explica que a queda na exclusão não pode ser considerada positiva, pois mais pessoas deveriam sair do banco de negativos do que permanecerem. Ele enfatiza que quando existe queda nas exclusões significa que menos pessoas estão ‘limpando o seu nome na praça’.

Machado recorda que a Caixa Econômica Federal liberou recursos do fundo inativo no ano passado. Com isso, muitas pessoas utilizaram os valores para sanarem suas dívidas. Em 2018, não existe esse recurso, o que também é preocupante.

 

PREOCUPAÇÃO

Outro dado que aparentemente parece positivo, porém preocupante é o número menor de inclusão. O vice-presidente da Acit comenta que esse dado demandaria outro tipo de pesquisa, como o ‘esfriamento’ do setor. “Ou seja, menos compras, menos pessoas entrando no SPC. É preocupante, porque sentimos isso no comércio. Me parece um pouco mais truncado em relação ao ano passado”.

Machado complementa que os desligamentos de funcionários nas empresas podem ser reflexos desse ‘esfriamento’ no comércio. “Menos pessoas compram, menos a necessidade de um determinado número de trabalhadores. Isso não é nem um pouco benéfico para o sistema econômico”.

 

EDUCAÇÃO

De maneira geral, a melhoria dos níveis de educação financeira leva a uma demanda e uso mais responsável do crédito, com menor risco de endividamento excessivo e, portanto, uma menor inadimplência.

Visando promover conscientização quanto à importância do planejamento financeiro e do acesso ao crédito, a Acit realiza a campanha SPC na Rua. Ele afirma que os consumidores interessados podem fazer consultas gratuitas de SPC e Serasa e verificar a situação cadastral. “A ação acontece uma vez por mês e é itinerante”.

Também são entregues exemplares do Manual de Educação Financeira, cedidos pelo Sicoob Oeste. “A intenção é trabalhar para criar a consciência do planejamento, orientar e mostrar a importância de ter o nome limpo”, salienta Machado ao considerar que a campanha tem surtido um efeito positivo.

Outra ação educativa é realizada com o empresário. “Passamos orientações para que ele conceda o crédito para o consumidor de uma maneira consciente. Assim é possível evitar a inclusão no sistema”.

 

NEGOCIAÇÃO

COB online auxilia ao inadimplente quitar a sua dívida

Voltado à recuperação de crédito para empresas associadas, a Associação Comercial e Empresarial de Toledo (Acit) dispõe, por meio do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), da ferramenta de cobrança ativa COB Online.

O serviço COB Online auxilia os empresários e viabiliza ao inadimplente mais possibilidades para pagamento das dívidas, por meio de renegociações automáticas ou de negociação direta com um atendente, dentro de critérios definidos pelo associado.

Cerca de 200 empresas são usuárias do serviço disponibilizado pela Acit, que em pouco mais de um ano, juntas, incluíram cerca de R$ 4 milhões no sistema. Deste total, o retorno financeiro, por meio do COB Online, foi de aproximadamente R$ 970 mil (24%), ou seja, o que equivale às baixas dos registros de inadimplência.

De acordo com o vice-presidente da Acit Claudenir Machado, o sistema possibilita que em cada dívida incluída no SPC, via COB Online, caso o empresário opte, seja imediatamente gerada uma renegociação que permite ao inadimplente quitar sua dívida em um pagamento à vista ou em três parcelas.

Machado acrescenta que não havendo o pagamento, conforme feito na ‘Renegociação Automática’, um serviço de cobrança ativo, com call center especializado em cobranças, estará em contato com o inadimplente propondo condições de pagamento. “Estamos trabalhando com essa nova modalidade. Os empresários estão aderindo e a população está negociando suas dívidas. É uma ação que está funcionando muito bem”, finaliza.