Toledo

Interactiana de Toledo conquista 1º lugar em prova de intercâmbio

Marina embarca em 2018 para uma nova jornada em sua vida (Foto: Divulgação)

Deixar a casa dos pais e embarcar em aventura em um país estrangeiro faz parte das fantasias de muitos adolescentes brasileiros. E quem está se preparando é a estudante do município de Toledo Marina Luísa Leonardi, de 16 anos. Ela conquistou o primeiro lugar no Programa de Intercâmbio de Jovens do Rotary, do Distrito 4640. A adolescente superou aproximadamente 100 pessoas. Em 2018, ela embarca para uma nova jornada de crescimento em sua vida.

Marina ainda não decidiu o seu destino, mas as opções são Alemanha e Bélgica. “No momento da prova - no começo - fiquei com um pouco de medo, mas estava preparada e a fiz com confiança”.

Quando teve acesso ao resultado do exame, ela comenta que a felicidade tomou conta de si. “As pessoas falavam que poderia conquistar a primeira colocação, porém preferia ficar reservada. Quando recebi a notícia chorei muito e percebi o quanto o meu esforço valeu a pena”.

Ela recorda que se dedicou aos estudos. “Imprimi vários manuais do Rotary, realizei pesquisas na internet, enfim fui atrás de novas informações para fazer uma boa prova”, afirma ao destacar que tem como objetivo aprender a falar fluentemente dois idiomas e ter um crescimento. “Quero criar mais maturidade e virar uma cidadã do mundo”.

 

ORGULHO

Conforme o governador assistente da área três do Distrito 4640 Valdir Antônio Eckstein, a família rotária se sente honrada pela conquista da adolescente. “Como ela ficou em primeira colocação terá a oportunidade de escolher o país também por primeiro para realizar o intercâmbio. Desta maneira, ela vai conhecer os costumes, os hábitos e a cultura local. Ela somente estudará”.

Eckstein salienta que é a experiência do intercâmbio é única. “O Rotary busca realizar investimento na educação para os adolescentes. É uma troca de experiências que, certamente, colabora com o futuro desses participantes”.

 

INTERCÂMBIO

No modelo tradicional de intercâmbio para adolescentes, o jovem é acolhido por uma família do país de destino, que será responsável por fornecer acomodação, alimentação e cuidar do intercambista durante sua permanência no país. As famílias são voluntárias, ou seja, não recebem pela hospedagem oferecida, e acolhem os estrangeiros para poderem ter contato com outras culturas.