Esporte

Invicto, Cruzeiro busca 1 a 1 com o Atlético e é bicampeão mineiro após 10 anos

Com um gol de Fred de pênalti, assinalado com ajuda do árbitro de vídeo (VAR), o Cruzeiro empatou com o Atlético-MG por 1 a 1, neste sábado, no estádio Independência, em Belo Horizonte, e conquistou o Campeonato Mineiro de 2019. O time celeste venceu o jogo de ida por 2 a 1 e levou a melhor no placar agregado, levantando a taça do torneio estadual. O volante Elias abriu o placar para o time da casa, que estava ficando com o título até os 34 do segundo tempo em função da melhor campanha na fase inicial, mas o gol do atacante cruzeirense assegurou a taça para os visitantes.

Com a conquista, o Cruzeiro volta a ser bicampeão do Campeonato Mineiro após dez anos, depois de ter faturado o troféu de forma consecutiva pela última vez em 2008 e 2009. Além do bi, a equipe de Mano Menezes termina a competição invicta. Treinado interinamente por Rodrigo Santana após a demissão de Levir Culpi, o Atlético amarga a derrota, além de situação complicada no Grupo E da Libertadores, com três derrotas e apenas uma vitória. Já o rival está 100% na competição e já assegurou classificação às oitavas de final da competição.

O jogo começou agitado. Logo aos 5 minutos, veio a primeira bola na trave: substituto de Cazares, Geuvânio fez boa jogada pelo lado direito da grande área cruzeirense e cruzou para Ricardo Oliveira, que bateu de chapa no travessão. No rebate, Luan mandou para fora, desperdiçando boa chance para o Atlético.

Seis minutos depois, foi a vez de o Cruzeiro ficar na baliza: Marquinhos Gabriel fez boa jogada pela esquerda, cruzou rasteiro na pequena área e Igor Rabello cortou de carrinho, mas a bola subiu e bateu no travessão de Victor. Começo agitado no clássico de Minas Gerais, que ficou mais equilibrado no decorrer da primeira etapa.

Até que, aos 29 minutos, o Atlético levou a melhor. Chará recebeu pela intermediária esquerda e lançou Ricardo Oliveira, que bateu de esquerda para grande defesa de Fábio. Na sequência, Elias veio rápido para aproveitar o rebote no meio da área e cabecear forte. O zagueiro Léo até desviou, mas não conseguiu bloquear a bola, que ainda bateu caprichosamente na trave antes de balançar as redes.

O Atlético ainda teria outra boa chance antes no fim do primeiro tempo, aos 42: Geuvânio recebeu pela direita, levou para a perna esquerda e bateu forte no canto destro de Fábio, que se esticou todo para evitar o segundo gol. Alívio para o Cruzeiro, que poderia ter ido para o intervalo com um prejuízo ainda maior. Foi a primeira vez que o time de Mano Menezes saiu atrás no placar em 2019, depois de 20 jogos disputados.

No segundo tempo, a equipe celeste veio determinada a reverter a desvantagem. Logo aos 2 minutos, Robinho bateu falta perigosamente e a bola passou perto da baliza defendida por Victor. Aos 20, foi a vez de Pedro Rocha, que entrou no lugar de Marquinhos Gabriel, ameaçar: ele recebeu de Robinho na pequena e chutou na rede, mas pelo lado de fora.

O Cruzeiro seguiu levando mais perigo e promoveu a entrada do meia-atacante Thiago Neves, que estava há um mês sem jogar, no lugar do volante paraguaio Lucas Romero. Aos 33, veio o lance que definiria o campeão: Pedro Rocha fez boa jogada pela esquerda, mas o zagueiro Leonardo Silva, substituto do lesionado Réver na defesa atleticana, encostou com o braço na bola dentro da área. O auxílio do árbitro de vídeo foi acionado e o juiz Leandro Bizzio Marinho confirmou a penalidade.

Na cobrança, Fred deslocou Victor e empatou para os visitantes. Foi o 12º gol do artilheiro do campeonato, que chegou ao seu 60º tento na história do Estadual. Depois do 1 a 1, o Atlético foi para cima, já que precisava vencer para conquistar o título. Os mandantes foram para o abafa, mas o Cruzeiro resistiu à pressão e confirmou a igualdade no placar, garantindo o título mineiro.