Esporte

Leclerc promete ser mais 'agressivo' após Verstappen superá-lo com manobra ousada

O monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, viu a sua almejada primeira vitória na Fórmula 1 escapar por pouco no último dia 30 de junho, quando foi superado pelo holandês Max Verstappen a apenas três voltas do fim do GP da Áustria, em Spielberg, após o piloto da Red Bull triunfar com uma ultrapassagem ousada e que gerou dúvidas se renderia uma punição dos comissários da prova.

O carro do piloto da Holanda chegou a tocar no monoposto do rival da equipe italiana na manobra, que foi alvo de uma longa investigação antes de ser considerada como válida e consequentemente não resultar em uma penalização ao vencedor da corrida no circuito Red Bull Ring.

Menos de duas semanas depois daquela prova, Leclerc afirmou nesta quinta-feira, em Silverstone, palco do GP da Inglaterra, marcado para este domingo, que o fato ocorrido na Áustria o motivou a fazer um "ajuste" em seu estilo de pilotagem para a continuidade da temporada da F-1.

"Naquele momento, eu senti que aquilo foi frustrante. Mas, olhando para trás, estou feliz que nós (da Ferrari) agora podemos correr daquela forma. Como pilotos, nós sempre tentamos estar o mais perto do que as regras nos limitam, então eu definitivamente mudarei um pouco e ajustarei um pouco a minha agressividade", ressaltou o monegasco.

E ele também se viu decepcionado com o segundo lugar na Áustria porque, duas corridas antes desta prova em Spielberg, viu os comissários do GP do Canadá tirarem a vitória de Sebastian Vettel por considerarem perigosa uma manobra que o piloto da Ferrari fez e impediu que ele fosse ultrapassado por Lewis Hamilton na parte final da prova. O piloto da Mercedes cruzou a linha de chegada em segundo lugar em Montreal, mas a punição ao adversário lhe garantiu o primeiro degrau do pódio.

Leclerc disse ter aceitado a decisão dos comissários do GP da Áustria, mas considerou a mesma incoerente se for levado em conta o fato de que outros pilotos da F-1 foram punidos em corridas anteriores da categoria depois de terem feito manobras menos ousadas do que esta que assegurou a Verstappen a vitória em Spielberg.

"Eu acho que, com esse incidente, eu não tenho nenhum problema e foi muito fácil para mim seguir em frente. O único pensamento que eu tenho é o de que eu gostaria de um pouco mais de consistência. Eu sinto que houve outros incidentes no passado, que foram de alguma forma menores e foram penalizados", enfatizou.

O monegasco destacou defender que os pilotos possam guiar na F-1 com menos regras muito restritivas, que acabam limitando um pouco a ousadia dos competidores e ofuscando o talento que poderiam mostrar dentro da pista. "Se pudermos correr dessa maneira, ficarei mais do que feliz em correr dessa maneira. Acho que é bom para a Fórmula 1. Acho que isso é o que os pilotos querem, mas só precisamos saber o que podemos esperar dos outros (comissários das corridas), e é por isso que precisamos de consistência nas punições", encerrou.