Toledo

Médico orienta sobre os cuidados com a saúde nos dias mais secos

Nos casos de desconforto nas vias aéreas, o uso de medicamentos deve ser feito com prescrição médica (Foto: Franciele Mota)

A primavera nem chegou mas as temperaturas já estão lá nas alturas. Durante o dia, os termômetros em Toledo registraram 30 graus nessa semana. Porém, no começo das manhãs o clima ainda se mantém agradável com mínimas de 12 a 14 graus. Na última quarta-feira (12) os termômetros registraram 29 graus às 17h com umidade relativa do ar entre 40% e 65%.

Mas o clima quente aliado a falta de chuva tem provocado um desconforto para quem sofre de problemas respiratórios. O médico da Estratégia de Saúde da Família, da secretaria de Saúde Fernando Pedrotti cita que essa amplitude térmica e a umidade relativa do ar com índices baixos sobrecarregam o organismo que precisa se adaptar as mudanças.

“Nós estamos em um momento que tende a chover menos, os intervalos entre as chuvas se tornam maiores e isso faz com que a gente tenha as vias aéreas mais expostas. Nessa época nós temos maior concentração de agente poluidores, temos uma maior concentração de poeira e fumaça no meio ambiente. Associado a isso, o ar está mais seco o que resseca as vias aéreas”, cita.

 

UMIDADE

O grande prejudicado nessa história é o nariz. Ele tem como principal função filtrar o ar, aquecer e umidificar. Com o clima mais seco como nos últimos dias, ele acaba tendo uma sobrecarga, porque há uma quantidade maior de partículas e impurezas no ar, aumentando o trabalho. “O nariz também tem precisa estar úmido, e para isso temos que tomar líquidos, algo fundamental do ponto de vista preventivo. Em média dois litros por dia”, complementa.

O médico lembra que as pessoas mais sensibilizadas também pode fazer uso do soro fisiológico no nariz, o que ajuda a limpar e umidificar o local. A higiene dos ambiente também é muito importante. Além de manter o local aberto e ventilado, nas limpezas não é recomendado varrer o chão para não espalhar ainda mais as partículas de impurezas. “A pessoa pode passar um pano úmido no chão e cuidar para não deixar baldes ou bacias com água nos ambiente, porque existe o risco de acidentes com crianças além da necessidade de troca constante para evitar que a água parada possa virar um meio de cultura de fungos”, lembra Pedrotti.

 

ALIMENTAÇÃO

Outra opção para manter os ambiente mais agradáveis é a instalação de aparelhos umidificadores. No entanto, ele não pode ser utilizado o tempo todo. O médico conta reforça que o excesso de umidade no ar também é um problema para a proliferação de fungos e mofos.

E para começar a estação mais quente com mais saúde e livre dos desconfortos nasais, Pedrotti ainda dá mais uma dica. “Recomendamos uma alimentação leve com frutas, verduras, líquidos em abundância como água e sucos naturais e evitar excesso de gorduras”, conclui.