Toledo

Ministro da Saúde vem a Toledo nesta quinta para discutir gestão do Hospital Regional

Ricardo Barros vem acompanhado do presidente da Ebserh para ver in loco estrutura da UFPR e Hospital Regional
(Foto: Divulgação)

O Ministro da Saúde, Ricardo Barros, acompanhado do presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), Kleber Morais, estará nesta quinta-feira, 31, em Toledo. O prefeito de Toledo, Lucio de Marchi, os deputados federal Dilceu Sperafico e estadual, José Carlos Schiavinato, acompanham a visita que tem por objetivo avaliar a estrutura do Hospital Regional e contatos com a Universidade Federal do Paraná, visando o início do funcionamento do Hospital Regional.

A agenda terá dois momentos. Inicialmente serão realizadas duas visitas, com acesso à imprensa, e depois uma reunião de trabalho, esta reservada às autoridades e técnicos. A programação começa às 14h com uma visita ao curso de Medicina da Universidade Federal do Paraná (UFPR), localizado na rua General Rondon, 2195, no Jardim La Salle. Em seguida, às 15h, o ministro e demais integrantes da sua comitiva visitam o Hospital Regional,, na Avenida União, 751, na Vila Becker, visando conhecer in loco a estrutura existente.

Depois das duas visitas, às 16h, será realizada uma reunião reservada em uma sala no Museu Histórico Willy Barth, ao lado do Hospital Regional, na rua Guarani, encerrando a programação em Toledo. As lideranças pretendem discutir alternativas ao funcionamento do Hospital Regional. O ministro da Saúde, que esteve em Toledo no sábado, disse que a visita pretende discutir alternativas para colocar em funcionamento o Hospital Regional, através da Ebserh, em parceria com a Universidade Federal do Paraná, que tem em Toledo o curso de Medicina.

“Vamos trazer a equipe da Ebserh, ver in loco a estrutura do Hospital Regional, do curso de Medicina, para ver se conseguimos uma exceção na determinação que já existe do governo federal, de não fazer novos concursos. A Ebserh faria uma contratação, não concurso, mas ainda assim isso implica em aumento de despesas com pessoal e o governo federal não está podendo fazer isso por conta da crise fiscal e o teto de gastos públicos”, disse Ricardo Barros em Toledo no sábado.

“ Queremos que a Ebserh assuma a gestão do hospital, contrate as pessoas, evidentemente em parceira com a Universidade Federal do Paraná, e conduza a operacionalização, assim como ocorre com o Hospital das Clínicas de Curitiba, que é um hospital federal do curso de Medicina da Universidade Federal do Paraná. Se não for possível, partiremos para outro modelo de gestão”, afirmou ele, destacando que ele e demais lideranças políticas estão empenhadas em buscar uma alternativa que viabilize o início do atendimento.

O atendimento à imprensa, segundo a assessoria do ministro será às 15h, em frente ao Hospital Regional, antes do início da visita técnica.