Estado

MuMA recebe quatro exposições da programação oficial da 14ª Bienal de Curitiba

Nesta quinta-feira, dia 10 de outubro, o Museu Municipal de Arte (MuMA) recebe quatro exposições que integram a programação da 14ª Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba: “Nômades e Fronteiriços”, “Poema-Processo, A Última Vanguarda”; “Fluindo Naturalmente” e o circuito universitário “CUBIC 4”.

“Nômades e Fronteiriços”, do curador Adolfo Montejo Navas, estará em exibição na Sala Célia Lazarotto. A mostra faz alusão à uma dupla realidade de artistas de outros lugares e culturas, mas adaptados ao Brasil de alguma forma, sendo expoentes de uma dupla vida artística. Os artistas Mira Schendel, Bill Lundberg, Davide Boriani, Patricio Farías, Carlos Clémen, Regina Chulam e Chang Chi Chai trazem corpus estéticos da Suíça, dos Estados Unidos, da Itália, do Chile, da Argentina, de Portugal e da China para outros contornos e situações. O trabalho desses artistas reconhece universos, arestas, mas, sobretudo, formata novos limites.

Também com curadoria de Navas, será inaugurada na sala Domício Pedroso a exposição “Poema-Processo, A Última Vanguarda”. As obras tratam do que ficou conhecido como a última vanguarda do Brasil: um movimento de ruptura com a poesia visual (1967-1972) que surgiu no período áureo da ditadura e que teve uma intensidade rara, polimórfica, expansiva. 

Com curadoria de Tereza de Arruda e Lu Zhengyuan (Fundação ASA – China), a mostra “Fluindo Naturalmente” descreve a harmoniosa relação entre homem e natureza. O conceito não é somente uma reflexão filosófica que se desenvolveu na China por milhares de anos, mas também uma interpretação de “Fronteiras em Aberto”, tema da 14ª Bienal de Curitiba. “Fronteiras em aberto”, no contexto chinês, pode ser interpretado como o poder da harmonia dissolvendo fronteiras entre a mente das pessoas, então os permitindo a interagir com a natureza livremente. A exibição vai se iniciar com arte Chinesa influenciada pela globalização, apresentando a reflexão e experiências de artistas chineses no âmbito do atual ambiente de “globalização cultural”.

O Circuito Universitário da Bienal Internacional de Curitiba (CUBIC 4) apresenta a produção de 36 jovens artistas em exposições itinerantes na Sala Arte Digital, sob curadoria de Stephanie Dahn Batista, Fabrícia Jordão e Isadora Mattioli. O circuito fomenta o pensamento crítico e o debate, possibilita que a produção teórica e artística produzida no âmbito universitário ganhe visibilidade pública. Desta forma, a 14ª Bienal de Curitiba visa assegurar o acesso e a circulação do conhecimento advindo do campo das artes visuais para todos. Além da Sala de Arte Digital do Museu Municipal de Arte (MuMA), os trabalhos passam também pelo Museu da Gravura do Solar do Barão, pelo Museu de Arte (MusA) e pela Galeria DeArtes da Universidade Federal do Paraná (UFPR).