Região

Pavimentação Margarida-Pato Bragado: prefeito busca solução em Curitiba

(Foto: Divulgação)

“Diga-se de passagem: todos os compromissos da prefeitura assumidos foram cumpridos rigorosamente. Governo novo, tem que dar um tempo para assimilar os processos que estavam dentro da secretaria e isso está sendo feito. O secretário de Infraestrutura e Logística, o deputado federal Sandro Alex, pediu mais 30 dias para que todos os contratos fossem analisados”. 
A afirmação foi feita na segunda-feira (11) pelo deputado federal José Carlos Schiavinatto (PP), após reunião na Secretaria de Infraestrutura e Logística. O parlamentar esteve acompanhando do prefeito de Marechal Rondon Marcio Rauber e o secretário de Coordenação e Planejamento Reinar Seyboth. Em pauta, estava o recurso para a obra de pavimentação asfáltica sobre pedras irregulares na rodovia que liga o distrito de Margarida a Pato Bragado.
Na reunião, estiveram presentes ainda o diretor do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) Coronel João Alfredo Zampieri, a assessoria do deputado Schiavinatto e o assessor da Assembleia Legislativa do Paraná Ricardo Serfas.
“O compromisso que assumimos foi cumprido, fizemos nossa parte, fizemos o projeto em tempo recorde, como também, assinamos o convênio, licitamos, assinamos o contrato e basta o sim da SEIL”, destaca o prefeito Marcio Rauber. O prefeito agradeceu ainda a forma atenciosa pela qual foi atendido pelos dirigentes da pasta. 
Sandro Alex disse ao prefeito que o convênio será olhado com muito carinho e que há uma positividade quanto a isso. “Basta aguardar um pouquinho mais”, frisou Rauber.

 

O CONVÊNIO
O convênio Margarida-Pato Bragado está entre os diversos assinados em vários municípios do Paraná pela gestão estadual anterior e que, neste novo governo, foram suspensos por 60 dias para análise. Com essa nova reunião, a informação recebida é de que foram suspensos por mais 30 dias.
O convênio com o governo do Paraná foi assinado em novembro do ano passado. O projeto e o processo licitatório foram concluídos, estando tudo pronto para o início dos trabalhos. A obra contará com recursos do Estado na ordem de R$ 1.080.000,00, mais a contrapartida do município de R$ 384.564,41.
Em caso de uma resposta negativa do secretário da SEIL, recursos próprios do município serão utilizados, porém, terá que ser feita uma nova licitação e todo o processo demorará alguns meses, por conta da burocracia. No caso do sim, o prefeito poderá acionar a empresa vencedora da licitação já feita para que a obra seja executada.