Toledo

Pesquisa aponta melhora no Indicador de Confiança do micro e pequeno empresário

“O cenário político mais estável tem gerado otimismo. Isso faz com que o mercado cresça, pois o consumidor também vislumbra um futuro mais promissor”, avalia a economista Kelen Camargo ao avaliar uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito. O levantamento aponta que o Indicador de Confiança marcou 65,7 pontos, o maior desde maio de 2015.

Ao comparar os dados com janeiro do ano passado, a profissional reforça que ocorreu uma alta de 20,2%. “A metodologia aplicada considera a variação de zero a 100. O último dado está acima de 50 pontos. Ou seja, os micro e pequenos empresários estão mais confiantes”.

A pesquisa revela que 55% dos micro e pequenos empresários têm mais confiança no futuro da economia. Outro dado destacado pelo estudo aponta que 38% dos entrevistados estão de acordo com as ações econômicas adotadas pelo novo governo.

 

INDICADORES

Kelen explica que o Indicador de Confiança é composto pelo Indicador de Condições Gerais e pelo Indicador de Expectativas. “As Condições Gerais permeiam as percepções dos setores, enquanto que as Expectativas irão medir o que eles esperam do futuro. Quando os indicadores estão alinhados positivamente é reflexo de otimismo entre as classes”, declara.

 

EXPECTATIVA

A microempresária Ana Paula afirma que iniciou o ano mais confiante. “Todos os setores enfrentaram a crise. Ela foi e ainda está sendo mais difícil para os pequenos empreendedores. Contudo, creio que o cenário político tem o poder de dar mais condições de estabilidade. Acredito nas reformas e em dias melhores”.

Com boas expectativas Ana pretende ampliar os negócios. “Estou buscando novas parcerias e, com isso, ofertar mais artigos as clientes. Com novos produtos é possível potencializar as vendas e expandir as atividades”, finaliza.