Segurança

Polícia apreende arma antiárea, explosivos e coletes à prova de balas em operação na RMC

Três homens foragidos da justiça e uma mulher foram presos na madrugada de terça-feira (11) em uma chácara em Agudos do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, durante uma ação integrada do 17º Batalhão de Polícia Militar (17º BPM) e equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Denúncias auxiliaram as equipes a irem até o local e apreenderem três armas longas, entre elas um fuzil AK-47 e uma arma de calibre .50, farta munição, 16 coletes balísticos e um carro blindado preparado para ações criminosas.

Informações do Setor de Inteligência do 17º BPM apontavam que na propriedade havia grande quantidade de armas. Segundo o comandante das equipes da Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone), subunidade do Bope, tenente Edizio Marçal de Souza Júnior, uma equipe foi até o endereço para averiguar.

A vistoria na casa resultou na apreensão de um fuzil AK-47, um Colt Comando de calibre 5,56, uma arma de montagem de origem americana também de calibre 5,56, além de uma arma de calibre .50 com grande poder de fogo e maior alcance que outras armas de ambiente urbano.

Além do armamento, foram localizadas emulsões explosivas já preparadas com espoletas, toucas balaclavas, radiocomunicadores, 16 coletes balísticos e miguelitos (artefatos de metal utilizados para furar pneus de veículos), além de materiais que podem ser usados para explosão de caixas eletrônicos e de cofres bancários.

Também chamou a atenção das equipes policiais a adaptação de uma Mitsubishi Pajero, modelo TR4, blindada, para ser utilizada em ações criminosas. “O veículo tem duas perfurações no vidro traseiro que permitem o encaixe da arma de calibre .50 para efetuar os disparos. Verificamos que o automóvel estava com as placas adulteradas e tinha sido furtado em junho deste ano em São Paulo”, disse o tenente.

Durante os procedimentos, os suspeitos, segundo as informações do Bope, teriam afirmado que a chácara era alugada e que estavam no local há aproximadamente 20 dias. “Dois dos homens envolvidos já têm antecedentes e eram procurados pelas forças de segurança do Rio Grande do Sul”, acrescentou o oficial.

Os detidos e os materiais foram levados ao Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) para os devidos encaminhamentos.