Toledo

Polícia Civil detém acusados de atearem fogo em ônibus

O delegado da 20ª SDP esclareceu os fatos durante coletiva de imprensa realizada na manhã de segunda-feira (17) (Foto: Janaí Vieira)

Dois homens foram presos e um adolescente apreendido por incendiarem um ônibus do transporte coletivo em Toledo. O ato criminoso ocorreu no dia 20 de maio, já as prisões foram realizadas no início da manhã de segunda-feira (17). Os detetives da 20ª Subdivisão Policial (SDP) investigam o envolvimento de mais uma pessoa com o crime.

“Em menos de um mês estamos dando essa resposta à sociedade com a prisão e apreensão dos envolvidos”, destacou o delegado da 20ª SDP Donizete Botelho durante coletiva de imprensa. “Todas as provas disponíveis foram recolhidas e com as investigações foi possível chegarmos aos envolvidos”, comenta ao acrescentar que o quarto suspeito também deve ser detido.

Segundo o delegado, os três acusados residem em Toledo. Os dois homens já possuem passagem pelo meio policial. Eles estão à disposição da justiça para os procedimentos cabíveis.

 

MOTIVAÇÃO – O ataque foi cometido como forma de retaliação à morte de um jovem de 18 anos durante uma perseguição policial na madrugada do dia 20 de maio. “Um dos acusados era amigo pessoal do rapaz”, enfatizou Botelho. “Gostaria de esclarecer que os familiares do jovem não tiveram participação no incêndio ao ônibus”, reforçou.

 

PERSEGUIÇÃO – A morte de Marcos André Goulart Pavão, de 18 anos, ocorreu após ele ter desobedecido a uma ordem de parada da Polícia Militar e ter empreendido fuga. A PM afirma que ele furou um bloqueio de viaturas e seguiu em fuga, fazendo manobras perigosas até bater o veículo contra um ferro-velho. Os policiais teriam relatado que ele estava armado, tentou fugir a pé, quando os agentes atiraram. Já a defesa da família pontua que os disparos foram feitos enquanto o jovem estaria deitado.

 

INCÊNDIO - O ônibus que foi alvo do ato de retaliação seguia pela rua Guerino Antônio Viccari, quando três homens encapuzados, que estavam em um dos pontos da rota, obrigaram o motorista a parar e os passageiros a descerem. Eles jogaram combustível e atearam fogo no coletivo. Ninguém ficou ferido, mas o ônibus ficou totalmente destruído.